About Ceres Battistelli

http://www.instiutofuchs.com.br

Posts by Ceres Battistelli:

O que pode causar o desgaste nas articulações?

São muitas as razões que levam uma pessoa a começar a sofrer com problemas nas articulações. As mais frequentes são:

  • A idade: o desgaste da cartilagem articular é um processo natural com o passar dos anos;
  • Genética: as características genéticas da cartilagem e de algumas doenças podem favorecer o aparecimento precoce da artrose;
  • Peso: a obesidade danifica as articulações de carga, como os joelhos e os quadris, já que todo o peso do corpo recai sobre as extremidades inferiores;
  • Sobrecarga: Atividades que “forçam” muito e por longo período podem levar ao desgaste articular;
  • Lesões: o traumatismo envolvendo uma articulação resulta em uma maior predisposição ao desgaste, principalmente quando acontece lesão da cartilagem;
  • Alimentação: estudos recentes demonstram que o consumo excessivo de carboidratos leva a um estado inflamatório sistêmico que pode levar ao desgaste articular precoce.

No Instituto Fuchs nós atuamos no tratamento de problemas no joelho e quadril.

Lesões da cartilagem do joelho

As lesões da cartilagem do joelho podem surgir espontaneamente ou após trauma (mais comum). Podem ser isoladas ou associadas às lesões dos meniscos ou ligamentos.

Nas lesões pequenas e poucos sintomáticas, podemos realizar tratamento clínico com medicação e reabilitação. Nas lesões maiores e que apresentam sintomas de repetição, o tratamento cirúrgico pode ser necessário. A cirurgia na maioria dos casos é realizada por artroscopia. Em alguns casos, a viscossuplementação com infiltração de ácido hialurônico pode ser indicada como terapia biológica no tratamento das lesões de cartilagem.

Dependendo do tipo, localização e tamanho da lesão, pode ser realizado o desbridamento da lesão, microperfurações, transplante osteocondral ou de células da cartilagem. Estes tratamentos apresentam melhores resultados em pacientes com lesões isoladas e abaixo de 45 anos.

4 vantagens da artroscopia do quadril

Artroscopia é uma técnica cirúrgica pela qual os tratamentos são realizados sem a necessidade de grandes incisões (cortes) na pele, sendo realizada apenas por pequenos orifícios. O principal objetivo da artroscopia do quadril é o de tratar a dor e a lesão em um estágio precoce, para tentar evitar a progressão e o aparecimento de doenças crônicas, que exijam tratamentos maiores, como uma prótese de quadril.

Conheça 4 vantagens da artroscopia do quadril:
  1. Procedimento minimamente invasivo, com curto período de internação (menos de 1 dia);
  2. Permite abordar variados tipos de problemas do quadril;
  3. Perda sanguínea desprezível;
  4. Pouca dor e pequena limitação funcional.

Este conjunto de características reduz os riscos de complicações, garante autonomia precoce ao paciente operado e permite recuperação mais rápida.

O que é e para que serve a artroscopia do quadril?

Artroscopia é uma técnica cirúrgica pela qual os tratamentos são realizados sem a necessidade de grandes incisões (cortes) na pele, sendo realizada apenas por pequenos orifícios.

Através destes orifícios, utilizam-se uma microcâmera (ótica) e diversos instrumentais especiais, capazes de reparar as lesões trabalhando em um espaço restrito, sem danificar as estruturas circundantes.O principal objetivo da artroscopia do quadril é o de tratar a dor e a lesão em um estágio precoce, para tentar evitar a progressão e o aparecimento de doenças crônicas, que exijam tratamentos maiores, como uma prótese de quadril.

Este é o foco dos procedimentos preservadores articulares: restaurar uma anatomia funcional e restabelecer o equilíbrio biomecânico para oferecer às articulações nativas as melhores condições de funcionamento possíveis.

A BIOMECÂNICA DA CORRIDA

O nosso tema de hoje é curioso e abrangente, tendo em vista que milhares de pessoas elegeram a corrida como a sua atividade física.

Vamos falar sobre a BIOMECÂNICA DA CORRIDA, ferramenta útil e que assusta alguns corredores, pois eles acreditam ser muito difícil ou até impossível alterar a sua forma de correr.

Pois não é. Pesquisadores da Universidade de Harvard estão publicando artigos mostrando que é possível melhorar a biomecânica de corredores em duas semanas.

Correr com uma boa biomecânica previne problemas, trata as lesões e auxilia na performance.

A ideia não é implicar com detalhes e particularidades da corrida de cada um, e sim melhorar pontos chaves que vão fazer com que o corpo sofra menor sobrecarga, como o impacto, posição na aterrissagem e a postura do joelho.

Então vamos lá:

IMPACTO
O alto impacto na corrida está associado a lesões como dor anterior do joelho, fascite plantar e fratura por stress. Para diminuir o impacto a dica é: “cresça” o corpo para cima, tente diminuir o barulho ao correr e aterrisse o pé próximo ao corpo.

A pesquisadora Irene Davis, de Harvard, publicou um estudo de caso com três pessoas que foram treinadas por duas semanas a correrem aterrissando com o médio pé, padrão de movimento que diminui o impacto. Foram oito sessões onde os participantes, que sofriam de dor anterior no joelho, correram por 30 minutos. Nas primeiras sessões eles usaram uma palmilha que emitia um som todas as vezes que aterrissavam da forma indesejada, com o calcanhar.

Além disso elas receberam as orientações de crescer o corpo e aterrissar suavemente. Nas últimas sessões elas correram sem a palminha, somente seguindo as orientações. Ao final das 2 semanas as corredoras estavam aterrissando com o médio pé e sua dor no joelho havia diminuído. Elas retornaram para um novo teste após um mês onde foi detectado que continuavam correndo com o médio pé e com menor dor. Ou seja, o aprendizado foi efetivo e duradouro.

POSIÇÃO NA ATERRISAGEM
Quanto mais perto do corpo o pé aterrissa na corrida menos o joelho sofre. É uma questão de teoria mecânica, que pode ser vista na prática em corredores profissionais.

Para melhorar essa característica da corrida tente correr sem enxergar muito os seus pés a frente. Correr assim também auxilia na diminuição do impacto.

POSTURA DO JOELHO
O valgo dinâmico, que é uma queda do joelho para dentro, está associado a várias lesões. O mesmo grupo de Harvard mostrou que foi possível melhorar esse desalinhamento de forma similar ao treino de diminuição do impacto, com orientação e biofeedback.

Por duas semanas, um grupo correu enxergando seu movimento através de um programa de computador (recurso conhecido como biofeedback) e recebendo a orientação de fazer força no quadril (onde o músculo que controla o valgo se encontra). Eles conseguiram melhorar o movimento do joelho na corrida mesmo sem o biofeedback das últimas sessões e no teste após 3 meses.

Não importa a idade. O corpo é capaz de aprender a correr melhor e de forma mais saudável. No começo é preciso pensar um pouco e prestar atenção, mas depois o novo movimento fica automático. Procure um educador físico para orientar seu treino e tenha sempre cuidado com a saúde do seu joelho e quadril. Para maiores informações acesse o site :www.institutofuchs.com.br

O que você precisa saber sobre a ARTROSCOPIA DO JOELHO

CONSULTA:
A primeira etapa é a consulta com um médico cirurgião especialista em joelho. Nessa etapa será realizada a avaliação clínica e dos exames complementares para fazer o diagnóstico do problema (lesão do menisco, da cartilagem, etc). Após o diagnóstico, o tratamento mais indicado para cada caso é proposto ao paciente, e em muitos casos pode ser uma artroscopia do joelho.
 
PRÉ-OPERATÓRIO:
A rotina pré-operatória inclui: exames de sangue, eletrocardiograma e consulta pré-anestésica. Uma reunião pré-operatória na semana anterior ao procedimento também é realizada para orientações gerais sobre a cirurgia, medicações necessárias e detalhes sobre horários e internação hospitalar.
Neste dia também é feita uma avaliação com um fisioterapeuta para orientações sobre a fase inicial da fisioterapia e cuidados necessários nos primeiros dias após a cirurgia.
 
INTERNAÇÃO HOSPITALAR:
O tempo de internação hospitalar é de geralmente 6 a 8 horas, e o paciente recebe alta no mesmo dia do procedimento. O tempo cirúrgico de uma artroscopia do joelho é de aproximadamente 20 a 30 minutos. A anestesia mais comum é geral (sedação profunda) associada à anestesia local com infiltração de medicações dentro do joelho; mas isto é decidido junto com o anestesista na avaliação pré-anestésica.
 
PÓS-OPERATÓRIO:
Após a alta hospitalar, o paciente deve usar medicações (analgésicos simples e anti-inflamatórios) por 5 a 7 dias e compressas com gelo. O curativo é realizado diariamente em casa. Na maioria dos casos, não é necessário o uso de muletas após a artroscopia do joelho.
 
REABILITAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA:
A fisioterapia é iniciada já na primeira semana, geralmente no dia seguinte à cirurgia, e deve ser realizada por 6 a 12 semanas.
Dirigir e as atividades de trabalho sem grande demanda física podem recomeçar 2 dias após o procedimento.
Atividades esportivas e trabalho com maior demanda física geralmente recomeçam entre 45-60 dias após a artroscopia do joelho.

Prótese total de quadril: metal x cerâmica x polietileno

 

Metal-polietileno: Popularizou-se no fim dos anos 60, e até hoje é utilizado em pacientes mais idosos ou com demanda funcional baixa. Sua desvantagem é o desgaste com o decorrer dos anos e a reação do organismo aos micros fragmentos de plástico resultantes deste desgaste, que pode levar à soltura do implante.

Atualmente dispomos de um tipo especial de polietileno, chamado de cross-linked. Este é muito mais resistente e mais durável do que o polietileno tradicional, segundo evidências científicas já estabelecidas. Esta evolução na qualidade do material permitiu que a indicação deste tipo de superfície fosse ampliada para pacientes mais jovens e mais ativos.

Cerâmica-polietileno: é uma opção bastante interessante. A cerâmica tem uma afinidade maior com a água e permite uma melhor lubrificação e um menor desgaste do polietileno em longo prazo. Pode ser usada em combinação com o polietileno crosslinked, aumentando ainda mais sua longevidade. É uma ótima opção em paciente jovens praticantes de atividades físicas.

Cerâmica-cerâmica: é a opção que menos apresenta desgaste em longo prazo. Costuma ser a opção mais usada em pacientes jovens.
Seu uso popularizou-se na Europa, aonde foi desenvolvida nos anos 70. É curioso notar que mais de 90% das cerâmicas usadas em todo mundo, inclusive no Brasil, se originam da mesma fábrica na Alemanha.

Metal-metal: atualmente a utilização desta superfície de contato é na artroplastia tipo resurfacing, que é um modelo especial de prótese de quadril indicado para alguns casos muito específicos, geralmente homens, jovens praticantes de atividades físicas de alto impacto. Sua utilização em próteses totais clássicas atualmente é muito baixa devido aos problemas relacionados aos debris metálicos produzidos pelo desgaste.

Exercício de agachamento em portadores de Impacto Femoroacetabular (IFA)

 

Estudos biomecânicos demonstram que o agachamento com hiperflexão e rotação interna dos membros inferiores durante os exercícios pode aumentar o grau de impacto entre o fêmur e o acetábulo. Esta maior sobrecarga é um fator de risco para dor e lesão da cartilagem do quadril.
É recomendada a rotação neutra ou externa dos membros inferiores durante o agachamento para minimizar o impacto dobre a cartilagem do quadril.
Saiba mais sobre impacto femoroacetabular e lesão do labrum em nosso site www.institutofuchs.com.br .

Como é a recuperação da artroscopia do joelho

A artroscopia do joelho é uma cirurgia de baixo risco de complicações, que dura geralmente cerca de 20 a 30 minutos, e por isso seu tempo de recuperação também é muito mais rápido que a cirurgia aberta.
Mas, como em todo procedimento, este tempo pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o tempo de cicatrização, idade, tipo e gravidade do problema tratado.

No entanto, na maioria dos casos, a artroscopia do joelho permite que o paciente volte para casa no mesmo dia da cirurgia.

Confira alguns cuidados que devem ser tomados por pacientes que passam pela artroscopia do joelho:
1- Ficar de repouso relativo, evitando andar muito e dirigir por 2 dias;
2- Manter a perna elevada quando deitado para diminuir o inchaço;
3-Aplicar uma bolsa de gelo na região do joelho 4 vezes ao dia, para reduzir o inchaço e a dor;
4- Tomar os medicamentos receitados pelo médico no horário correto, para manter a dor bem controlada;

Além disso, é muito importante realizar fisioterapia para reabilitação. A fisioterapia reduz o processo inflamatório e a dor, ajuda a retomar a força muscular e recuperar a mobilidade do joelho, que pode ficar prejudicada após a cirurgia.

A atividade física normalmente pode ser retomada entre 6 a 12 semanas após a artroscopia.

Nós, do Instituto Fuchs – Cirurgia do Joelho e Quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959

Resultados da artroscopia do quadril para tratamento de IFA em adolescentes

A avaliação clínica e satisfação do paciente após uma cirurgia é realizada através de questionários (scores) que envolvem sintomas, mobilidade, atividades diárias e esportivas.

Para a avaliação da artroscopia do quadril, utilizamos os questionários HHS modificado, HOS, iHOT.

Vários estudos na literatura mundial reportam a melhora clínica e dos scores nos adolescentes submetidos à artroscopia do quadril para tratamento do impacto femoroacetabular.

Saiba mais sobre impacto femoroacetabular e artroscopia do quadril em nosso site www.institutofuchs.com.br .

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h