Dicas

Resultados da artroscopia do quadril para tratamento de IFA em adolescentes

A avaliação clínica e satisfação do paciente após uma cirurgia é realizada através de questionários (scores) que envolvem sintomas, mobilidade, atividades diárias e esportivas.

Para a avaliação da artroscopia do quadril, utilizamos os questionários HHS modificado, HOS, iHOT.

Vários estudos na literatura mundial reportam a melhora clínica e dos scores nos adolescentes submetidos à artroscopia do quadril para tratamento do impacto femoroacetabular.

Saiba mais sobre impacto femoroacetabular e artroscopia do quadril em nosso site www.institutofuchs.com.br .

3 dicas para sua consulta com um especialista do joelho e quadril

 

1 – Informe ao médico o seu objetivo na consulta. É importante ouvir a opinião médica, mas também expressar o que está sentindo, como as variações na dor, limitações do dia-a-dia e o que você espera do tratamento.
2 – Pesquise tratamentos e faça uma lista de opções para discutir com o médico e esclarecer dúvidas. Fazer uma pesquisa a respeito da doença e possíveis formas de tratamento otimizam a consulta e deixam o paciente mais confiante.
3 – Peça para o médico explicar todas as opções de tratamento, para que possam tomar a melhor decisão juntos e com segurança.

Artroscopia do quadril para lesão do labrum em adolescentes apresenta ótimos resultados

 

A lesão do labrum acetabular em adolescentes geralmente está relacionada às alterações ósseas do impacto femoroacetabular, displasia do quadril e hipermobilidade articular.
Quando sintomática, a lesão do labrum pode precisar de uma artroscopia do quadril para tratamento definitivo.
Diversos estudos na literatura mundial demonstram excelentes resultados da artroscopia do quadril para tratamento da lesão do labrum e do impacto femoroacetabular, com alta taxa de satisfação e excelentes scores funcionais.
Saiba mais sobre lesão do labrum e artroscopia do quadril em nosso site www.institutofuchs.com.br .

COMO IDENTIFICAR E TRATAR A ARTROSE DO JOELHO

A artrose no joelho é uma alteração degenerativa e inflamatória da articulação que provoca sinais como:
1. Dor no joelho após esforços e alívio parcial com o repouso. Em uma fase mais avançada, as dores mesmo na cama em repouso podem atrapalhar o sono;
2. Perda do alinhamento da perna progressivo: o joelho “entorta”;
3. Rigidez ao se levantar da cama de manhã ou após longos períodos de repouso. Geralmente, passa após 30 minutos ou quando começam as atividades normais do dia-a-dia;
4. Presença de estalos ao movimento ou “crepitações”;
5. Inchaço e calor: geralmente na fase inflamatória;
6. Sensação de aumento de tamanho do joelho: devido ao crescimento dos ossos (osteófitos) ao redor do joelho;
7. Movimentos mais limitados: especialmente para dobrar e esticar o joelho totalmente;
8. Dificuldade em apoiar o membro inferior afetado;
9. Músculos da coxa mais fracos e mais atrofiados.

Em alguns pacientes é muito comum o acometimento de ambos os joelhos, porém os sintomas podem ser diferentes de um para o outro, e isso geralmente está relacionado ao grau de comprometimento de cada articulação.

Com o passar do tempo e evolução da artrose, as deformidades da articulação e dores vão aumentando, piorando a cada dia a qualidade de vida do paciente.

O tratamento da artrose do joelho pode ser clínico (conservador) ou cirúrgico dependendo do grau de acometimento, idade e atividade do paciente.

No tratamento clínico indicamos fisioterapia, hidroterapia, exercícios de baixo impacto, medicações analgésicas / antiinflamatórias / condroprotetoras e às vezes infiltrações com ácido hialurônico (viscossuplementação).

No tratamento cirúrgico pode ser indicada uma osteotomia (correção do eixo do joelho), artroplastia (prótese) total ou parcial do joelho.

Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais sobre tratamentos para artrose do joelho.

 

CONHEÇA QUEIXAS COMUNS QUE PODEM ESTAR RELACIONADAS À PROBLEMAS NO QUADRIL:

1- Dificuldade de calçar sapato : artrose de quadril
2- Dor no quadril para cruzar a perna :impacto femoroacetabular e artrose de quadril.
 
3- Dor no quadril para dirigir em paciente jovem: impacto femoroacetabular e lesão do labrum
 
4- Dificuldade de movimento para cortar a unha do pé: artrose de quadril
 
5- Você deixa de sair de casa por dor no quadril? Parou de praticar atividades físicas porque o quadril dói?
Consulte um especialista em quadril para melhorar sua qualidade de vida.

O QUE É LESÃO DE LABRUM

O labrum é um tipo fibrocartilagem que contorna a articulação do quadril. As principais funções do labrum são a vedação da articulação, aumento da estabilidade, lubrificação e absorção de impacto.

A principal causa da lesão do labrum é o impacto femoroacetabular (IFA). Casos de trauma, displasia do quadril, instabilidade ou frouxidão capsular também podem causar lesões do labrum acetabular. O sintoma mais comum é a dor na região anterior ou anterolateral do quadril (virilha), geralmente profunda, mas pode acontecer na região lateral ou posterior do quadril. Alguns pacientes com lesão do labrum apresentam estalos ou clicks no quadril, e às vezes sensação de deslocamento/desencaixe.

Existem dois tipos de lesão do labrum no quadril: degenerativa e traumática. A degenerativa é uma lesão crônica que ocorre como resultado de movimentos repetitivos, principalmente flexão e rotação.

Uma lesão traumática é geralmente aguda, resultado de uma lesão esportiva, queda ou acidente. Está associada com manobras bruscas de flexão com rotação do quadril, comuns nos esportes de contato e de impacto, e causam dor imediata no quadril.

Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais sobre lesão de labrum.

Dor no quaril, evite exagerar nos treinos para não sofrer do problema

Você está no meio da corrida e sente uma fisgada dolorosa no glúteo. Antes de entrar em pânico, é importante checar a dor, que pode ir de um desconforto – devido a um treino mais pesado – a um indicativo de lesão no quadril. Correr sobrecarrega a articulação do quadril, do joelho e do tornozelo. Por isso, é importante se prevenir, para não desenvolver uma tendinite dos músculos abdutores, muito comum entre os corredores.

O QUE É?
O grupo muscular dos abdutores é formado pelo glúteo médio, mínimo e tensor do fáscia lata. Este grupo é responsável pelo movimento de abrir a perna, além do glúteo médio ser o principal músculo estabilizador do quadril. Isto é, ele impede que a bacia incline quando tiramos o pé do chão. Por isso, ele é extremamente exigido durante a marcha e a corrida, e susceptível às lesões por sobrecarga.

CAUSAS
As causas das lesões geralmente são uma combinação de fatores, mas o principal motivo é o aumento da carga de exercício de forma abrupta, seja no caso dos corredores de fim de semana, que resolvem correr sem estarem treinados, ou em corredores regulares, que decidem aumentar consideravelmente sua carga de treino. O excesso de impacto na região também é causa do problema.

COMO EVITAR?
A prevenção é a chave do sucesso de um praticante de atividade física: – Seguir o planejamento dos treinamentos, com atividades de preparo físico, alongamento, fortalecimento, equilíbrio muscular e postura;
– Respeitar os períodos de descanso para a recuperação do corpo;
– Ter cuidado com o overtraining, pois o excesso de treino é lesivo ao corpo.

Em casos crônicos e incapacitantes, que dificultam as atividades diárias e esportivas, é importante procurar um ortopedista especialista em quadril.

Pedalar pode trazer problemas para os joelhos

A bicicleta é a opção de muitos para a prática esportiva ou para enfrentar o trânsito, cada dia mais caótico. Mas é preciso alguns cuidados para garantir que a saúde do corpo seja mantida.
Para evitar as dores e as lesões, o ciclista deve manter a postura correta durante a atividade e fazer o posicionamento correto dos módulos da bicicleta.
Quem anda de bicicleta de forma inadequada corre mais risco de sofrer tendinites no joelho e problema na articulação femoropatelar. Isso ocorre devido ao ajuste inadequado da bicicleta e treinamento excessivo ou inadequado. A tendinite é uma inflamação que acomete os tendões, que são estruturas localizadas entre os músculos e os ossos. Entre os principais tendões acometidos na região do joelho estão o tendão patelar, tendão do músculo poplíteo e da pata de ganso. É possível desconfiar da tendinite no joelho quando sentir dor e uma hipersensibilidade no tendão. Esses sintomas podem piorar conforme o indivíduo se movimente. A dor também pode aparecer atrás dos joelhos ou no lado de dentro.
Na presença dos sintomas, é importante consultar um médico para fazer exames. O especialista pode pedir para o paciente correr, saltar ou agachar para analisar a intensidade da dor. Exames como ultrassonografia, ressonância magnética, entre outros podem auxiliar.
O tratamento pode ser conservador por meio de medicamentos para diminuir a inflamação ou em alguns casos a fisioterapia pode ser indicada para restaurar a função do músculo e a biomecânica do membro inferior. O laser e a terapia combinada podem ser excelentes coadjuvantes no tratamento associado aos exercícios.

O que é joelho degenerativo?

Hoje trazemos para vocês informações sobre JOELHO DEGENERATIVO.

A melhora na qualidade de vida, os avanços da medicina e a pratica de atividades esportivas estão fazendo que a vida média da população aumente progressivamente.

Quanto mais atividade física fizermos e mais tempo vivermos, maiores serão os riscos de desenvolver problemas nas articulações dos membros inferiores, onde o joelho é a mais afetada.

O joelho do idoso, pode apresentar alterações degenerativas da cartilagem, e causar sintomas de dor, inchaço, dificuldade nas atividades diárias e esportivas.

As alterações degenerativas são decorrentes do desgaste da cartilagem, sequelas de traumas, doenças inflamatórias, osteonecrose, instabilidade e meniscectomia prévia.

Caso você se identifique com este caso, ligue pra gente e marque uma consulta. Somos referencia no tratamento de JOELHO.

Saiba mais: www.institutofuchs.com.br

Cuidados durante a caminhada na areia

No verão, muita gente vai à praia para passar as férias. A caminhada na areia é uma excelente opção de exercício para manter o condicionamento físico.

Caminhar na areia trabalha muito os músculos dos membros inferiores e também o sistema cardiovascular. Porém devemos tomar cuidados para não sofrer algum tipo de lesão, principalmente no quadril e no joelho.

Preferir locais sem inclinação da areia na praia e sempre usar um tênis adequado. A inclinação causa uma sobrecarga de um lado do corpo, em vez de distribuir o peso pelas duas pernas. Descalço ou de chinelo não existe o amortecimento necessário e todo impacto é absorvido pelas articulações.

A areia fofa dificulta ainda mais o exercício, e não é indicada para iniciantes. É importante tomar cuidados com os desníveis para não sofrer uma torção do joelho ou tornozelo.

Nós, do Instituto Fuchs, estamos prontos para atendê-los. Cuide do seu joelho.
Ligue e marque uma consulta: (41) 3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais.

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h