Dicas

CORRER FAZ BEM PARA OS JOELHOS

 

Uma pesquisa recente feita pela Universidade de Brigham Young, nos Estados Unidos, vai exigir que você busque outra explicação para não se exercitar. De acordo com o estudo, atividades aeróbicas como a corrida podem reduzir as chances de inflamação nas articulações e de artrose.

Os pesquisadores avaliaram substâncias associadas ao processo de inflamação presentes no líquido sinovial (presente na articulação) do joelho de homens e mulheres saudáveis, entre 18 e 35 anos, antes e depois de se exercitarem. Os resultados mostraram que, depois de 30 minutos de corrida, a concentração de moléculas responsáveis pela inflamação diminuiu significativamente.

O médico ortopedista Thiago Fuchs, especialista em joelho e quadril, lembra que apesar dessa novidade, alguns cuidados são essenciais e indispensáveis para evitar lesões, como o alongamento correto da musculatura e o uso de tênis adequado para a prática esportiva.

Conheça as lesões mais comuns no joelho do paciente jovem e as diferenças entre elas

 

Um conselho muito ouvido durante a vida é: “cuide bem dos seus joelhos”. Mas você sabe quais são os problemas que podem ocorrer e o que eles ocasionam?.
Condromalácia patelar – É um desgaste na cartilagem que reveste a patela , que tem como principal função, o amortecimento do peso. Na condromalácia, o indivíduo sente dor na parte da frente do joelho, especialmente ao subir-descer escadas ou permanecer muito tempo sentado.
Síndrome da banda iliotibial – A síndrome da banda iliotibial ocorre quando o trato iliotibial, tecido fibroso que se estende do osso da pélvis até a tíbia, está encurtado e muito tenso, causando um atrito na parte lateral do fêmur, o que gera uma lesão inflamatória. O principal sintoma é a dor lateral entre o quadril e joelhos, que tende a piorar com atividades físicas que realizam movimentos repetivos de flexão do joelho, principalmente na corrida.
Tendinite patelar – Localizado logo abaixo da patela, o tendão patelar faz a ligação entre a patela e o osso da perna (tíbia). A tendinite patelar, também, conhecida como “joelho de saltador”, é a inflamação deste tendão, causando dor na região anterior do joelho.
Inflamação na pata de ganso – Pata de ganso é o nome que se dá à junção de três tendões localizados na parte interna do joelho, onde alguns músculos da coxa se inserem na perna. É a região um pouco abaixo da linha articular medial, e costuma doer quando ocorre a inflamação desses tendões. Também pode ocorrer inchaço no local após a realização de atividades físicas.
Lesão de menisco lateral ou medial – Cada joelho possui dois meniscos, que são estruturas em formato de “C” situados entre os ossos do joelho, com a função de melhorar o encaixe da articulação e amortecer os impactos. Quando há uma lesão ou desgaste nos meniscos, além da dor e desconforto na linha articular do joelho, pode ocorrer inchaço ou sensação de bloqueio da articulação.
Lesão do ligamento cruzado anterior – O ligamento cruzado anterior é um dos principais ligamentos do joelho e tem como função estabilizar o joelho evitando que a tíbia (osso da perna) se desloque anteriormente em relação ao fêmur (osso da coxa). A lesão do LCA é a ruptura deste ligamento, que pode ocorrer de forma completa ou parcial, ocasionando instabilidade do joelho. Normalmente esta lesão ocorre em função de entorses ou traumas durante a prática esportiva.

Artrose: 3 dicas para tirar o máximo proveito da sua consulta com o ortopedista

 

1 – Informe ao médico o seu objetivo na consulta. É importante ouvir a opinião médica, mas também expressar o que está sentindo, como as variações na dor, limitações do dia-a-dia e o que você espera do tratamento.

2 – Pesquise tratamentos e faça uma lista de opções para discutir com o médico e esclarecer dúvidas. Fazer uma pesquisa a respeito da doença e possíveis formas de tratamento otimizam a consulta e deixam o paciente mais confiante.

3 – Peça para o médico explicar todas as opções de tratamento, para que possam tomar a melhor decisão juntos e com segurança.

A aproximação do verão e os cuidados com o joelho

 

Com a estação mais quente do ano chegando, é inevitável o aumento do número de pessoas nas academias. Mas essa preocupação repentina de entrar em forma pode causar lesões aos joelhos; portanto é importante tomar alguns cuidados.

– Buscar acompanhamento profissional;

– Não sobrecarregar os joelhos com cargas elevadas;

– Ter cuidados com a postura e com a execução dos movimentos, pois movimentos errados podem causar lesão dos meniscos e da cartilagem e ainda sobrecarga nos ligamentos e tendões. Um agachamento mal feito pode causar até mesmo uma ruptura no menisco;

– Respeitar os intervalos estabelecidos durante e entre os dias de treino para evitar o overtraining e lesões;

– Fortalecer os músculos da região posterior da coxa é importante para dar equilíbrio à articulação. A falta de equilíbrio pode levar todo o peso para as articulações, sobrecarregando a cartilagem e os ligamentos.

Contar com um orientador físico bem preparado e consciente é fundamental, pois ele saberá compor um plano de treino que varie os exercícios e recrute diferentes grupos musculares. Acima de tudo, convém lembrar que as mudanças no corpo não aparecem da noite para o dia e requerem esforço e paciência. Exagerar na dose pode ter o efeito contrário, afastando o praticante das atividades físicas por um bom tempo.

SENSAÇÃO DE FRAQUEZA NOS JOELHOS

 

JOELHO: UM DOS MAIORES ALVOS DE LESÃO NOS SKATISTAS

 

A pata de ganso – nome que se dá à junção de três tendões localizados na parte interna do joelho – é responsável pela flexão do joelho e por protegê-lo contra o estresse excessivo em rotação e em valgo, quando o skatista coloca o peso do corpo sobre a perna e o joelho gira ou se inclina para dentro, causando uma sobrecarga nos músculos e criando uma região de atrito no joelho.

A tendinite da pata de ganso é um problema que costuma ocorrer com quem anda de skate e um dos sintomas apresentados é a dor na parte interna do joelho. É comum também que essa inflamação surja acompanhada de uma bursite no local e inchaço após a atividade. Os skatistas que apresentam o problema costumam ainda sentir dor ao subir e descer escadas, quando o pé volta a tocar o chão logo após uma manobra com salto e em movimentos de flexão em geral.

O tratamento consiste, primeiramente, em controlar o processo inflamatório e, posteriormente, em detectar e tratar a causa mecânica do problema. Caso contrário, o joelho voltará a produzir movimentos excessivos de rotação e inclinação durante a prática do skate, fazendo reaparecer as lesões.

Um dos motivos que levam ao estresse no joelho é uma musculatura de quadril fraca, pois os músculos de quadril são os principais responsáveis por manter o joelho alinhado durante a execução das manobras. O treinamento de força da região é  fundamental tanto para a prevenção quanto para a correção do problema, mas é necessário também um trabalho de propriocepção e adequação do movimento, para que o músculo possa responder com a devida contração, nos momentos em que for recrutrado.

Da mesma forma, uma pisada desalinhada também pode levar a lesões no joelho, sendo necessária a correção por meio de exercícios que fortaleçam os músculos do tornozelo, além de exercícios funcionais que garantam o equilíbrio e a flexibilidade necessários à atividade.

Mitos e verdades: alguns alimentos ajudam a prevenir a artrose

 

VERDADE – Embora o tratamento da artrose possa variar de acordo com a avaliação dos sintomas, local acometido e grau de desgaste de cada paciente, é ponto comum a utilização de medicações analgésicas e anti-inflamatórias nas fases iniciais da doença.
Existem diversos alimentos que podem ajudar no controle dos sintomas, na redução do processo inflamatório e no metabolismo das células do osso e da cartilagem, sendo indicados tanto para o tratamento quanto para a prevenção da artrose.
Alimentos como gengibre, sardinha, chia, cúrcuma, frutas cítricas e frutas vermelhas, por exemplo, são capazes de controlar o nível inflamatório do corpo e ajudar no alivio das dores causadas pela artrose. Além disso, são excelentes aliados do tratamento ao ajudar na absorção dos medicamentos e trazer maior qualidade de vida aos pacientes.

6 DICAS PARA ALIVIAR AS DORES NO QUADRIL

 

1 – Descubra a causa da sua dor: não invista em exercícios ou medicamentos sem antes procurar orientação médica. Existem vários motivos que podem ocasionar dor no quadril e é importante saber qual é a causa para poder tratar adequadamente.
2 – Cuidado com atividades de alto impacto: se está sentindo dores, é importante evitar atividades como corrida e saltos, que podem causar sobrecarga maior ainda, aumentando a dor. Em vez disso, procure fazer atividades de baixo impacto como caminhadas e hidroginástica.


3 – Invista em bons calçados: procure alternativas que garantam uma boa absorção do impacto e a distribuição homogênea da pressão por todo o pé.


4 – Faça exercícios e alongamentos: eles melhoram a circulação e o funcionamento das articulações, diminuindo as dores.


5 – Dê tempo para a recuperação muscular. É imprescindível uma pausa mínima de 24 a 48 horas.


6 – Controle do peso corporal: avalie se é possível diminuir seu peso corporal; emagrecer pode aliviar a dor no quadril, pois reduz a pressão sobre a cartilagem articular.


E, acima de tudo, busque profissionais especializados que possam ajudar e orientar, recomendando o que é mais indicado para o seu caso.

SAPATO PARA COMBINAR COM O JOELHO

A escolha do sapato pode interferir diretamente nas atividades do cotidiano e, inclusive, evitar ou provocar desconfortos ao longo do dia ou até mesmo problemas mais graves na articulação do joelho. Se no trabalho o salto alto é indispensável, procure um modelo que não seja tão alto e, sempre que possível, alterne com tênis ou outras opções mais confortáveis e com amortecimento adequado.

Cientistas da Universidade de Stanford descobriram que toda vez que uma mulher calça sapatos de salto alto, ela coloca tensão em excesso nas articulações dos membros inferiores, principalmente nos joelhos, tornozelos e pés. Se a mulher estiver com sobrepeso, a tensão é ainda maior.

A DICA do INSTITUTO FUCHS para quem não sai de casa sem colocar um bom salto é: reduza um pouco a dose. Não é necessário dispensar a elegância, mas procure dar um pouco de descanso aos pés e aos joelhos.

RANKING DE ESPORTES DE RISCO PARA O JOELHO

 

Gosta de esportes, mas também quer manter a saúde física?
Condicionamento físico e cautela na prática das atividades esportivas são fundamentais, mas a escolha pelo tipo de esporte também é importante para quem quer reduzir o risco de ter problemas. De acordo com uma pesquisa do Instituto do Joelho do Hospital do Coração (HCor), o futebol é o responsável por mais da metade (55%) das lesões ligamentares no joelho.
Em sequência, vêm outras modalidades como artes marciais (16%), basquete (12%), exercícios de academia (8%), tênis (5%), surf (4%), skate (4%), esqui (4%) e motocross (4%). O estudo foi realizado entre janeiro e abril de 2017 e teve a participação de 600 pacientes.

Confira as chances de lesões no joelho, de acordo com a modalidade esportiva
1º – Futebol (55%)
2.º – Artes marciais (16%)
3.º – Basquete (12%)
4.º – Exercícios de academia (8%)
5.º – Tênis (5%)
6.º – Surf (4%), skate (4%), esqui (4%) e motocross (4%).

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h