Temas Atuais

DIA DO FISIOTERAPEUTA

 

Hoje, 13 de setembro, é comemorado o DIA DO FISIOTERAPEUTA.

Gostaríamos de parabenizar todos os profissionais que trabalham na reabilitação e cuidado dos pacientes, melhorando a qualidade de vida e a saúde de quem precisa.

Um agradecimento especial aos profissionais que atuam em parceria com o INSTITUTO FUCHS e, também, à fisioterapeuta Rubia Benatti, Mãe do dr. Thiago Fuchs.

EXCESSO DE PESO CAUSA PROBLEMAS NOS JOELHOS

 

No Dia Mundial de Combate à Obesidade, lembramos para todos vocês que o EXCESSO DE PESO causa prejuízos AO JOELHO E QUADRIL.

A sobrecarga ocasiona problemas nas articulações do joelho e tornozelo. Um deles é a osteoartrite, caracterizada pela perda de cartilagem. Além disso, a obesidade é um dos principais fatores de risco para artrose do joelho e do quadril.

Uma dieta com excesso de carboidratos também pode estar relacionada a alterações metabólicas e inflamatórias na cartilagem articular. Por isso, ter uma alimentação balanceada e de qualidade é fundamental para a saúde das articulações.

JOELHO DE JOGADOR DE FUTEBOL

As lesões no joelho durante as partidas de futebol são muito comuns na vida dos jogadores profissionais. Mas, em alguns casos, elas podem significar muito mais do que isso. Podem representar o fim de um contrato importante ou mesmo o encerramento antecipado da carreira nos gramados.

Isso acontece porque o joelho é considerado a maior e mais complexa articulação do corpo humano, e recebe altas cargas nas atividades cotidianas ou esportivas.

No Brasil, um dos casos mais conhecidos e emblemáticos foi o do jogador Ronaldo Nazário – o “Ronaldo Fenômeno”. O então “camisa 9” da Seleção Brasileira passou por três cirurgias durante sua carreira como atleta. Quando defendia a Inter de Milão, na temporada 1999/2000, o jogador brasileiro sofreu a primeira lesão grave no tendão patelar direito. Ele pisou em um buraco, torceu o joelho e rompeu o tendão patelar. Depois de cinco meses de recuperação, Ronaldo voltou aos gramados e entrou em campo na partida contra a Lazio. Em apenas sete minutos de partida, numa disputa pela bola, ocorreu uma nova lesão – e mais 15 meses de recuperação. Em 2008, no Milan, nova lesão em uma partida contra o Livorno, o atacante se lesionou após uma disputa de bola pelo alto. Após alguns meses de recuperação, Ronaldo foi dispensado pelo clube italiano e retornou ao Brasil, para novos tratamentos e passagens por clubes brasileiros como o Flamengo e o Corinthians.

O que aconteceu com Ronaldo Fenômeno não é exclusividade das estrelas do futebol. As partidas de fim de semana, encaradas muitas vezes como uma brincadeira de amigos, também merecem atenção e cuidado com essa articulação tão importante ao corpo humano.
Diariamente atendemos pacientes com lesões nos joelhos devido a esforços repetitivos no trabalho e nas atividades esportivas, e que não realizam previamente o aquecimento e alongamento adequado.
Os joelhos com algum tipo de problema geralmente apresentam dor, inchaço (derrame – “água no joelho”), instabilidade, perda de mobilidade e atrofia muscular. Na presença de qualquer um destes sintomas deve-se procurar atendimento médico especializado para investigar a causa destas alterações, realizar o diagnóstico e o tratamento adequado para cada caso.

COMO OS NOSSOS PAIS

O Jornal GAZETA DO POVO publicou neste final de semana, reportagem com o Dr. Thiago Fuchs e Rogério Fuchs, no GUIA DE GRADUAÇÃO.

Confiram:

FRATURA POR ESTRESSE NO JOELHO

 

Hoje vamos falar sobre um tema muito importante e que está chamando atenção por ter acontecido com o apresentador LUCIANO HUCK, a FRATURA POR ESTRESSE NO JOELHO.

O Dr. Rogério Fuchs, cirurgião do joelho, explica que a fratura por estresse que pode ocorrer no joelho geralmente é causada por sobrecarga ou esforço repetitivo, sendo mais comum em atletas, corredores ou militares.

Na população em geral a taxa é muito pequena (menor que 1%), porém pode chegar a 20% em atletas corredores.

No joelho, a tíbia é o osso mais acometido. A dor é o primeiro sintoma que aparece quando ocorre esta lesão, podendo também surgir inchaço no local”, explica Rogério Fuchs.

O paciente relata que a dor aumenta progressivamente, levando o atleta a interromper o exercício em muitos casos.

O diagnóstico é confirmado através de exames de imagem (Radiografias, Cintilografia, Tomografia e Ressonância).
Na maioria dos casos o tratamento é conservador, com a suspensão das atividades físicas de impacto durante 6 a 12 semanas, fisioterapia e analgésicos.
Em casos isolados, a fratura pode progredir tornando-se completa e com dificuldade de cicatrização, necessitando de tratamento cirúrgico.

APOSENTADORIA ANTECIPADA NA VIDA ESPORTIVA

 

O mais famoso tenista brasileiro, o catarinense Gustavo Kuerten, o Guga, que conquistou o Torneio de Roland Garros, em Paris, por três vezes (1997, 2000 e 2001), foi vítima de um problema no quadril que acabou antecipando sua aposentadoria: a lesão de labrum do quadril.

Guga foi considerado o maior tenista da história do Brasil e um dos maiores tenistas da história do tênis mundial. É o único tenista da história a ganhar de Pete Sampras e Andre Agassi – outros grandes tenistas mundiais – no mesmo torneio.

Mesmo com todo esse currículo, problemas no labrum tiraram Guga Kuerten das quadras. O labrum é uma espécie de cartilagem que envolve a articulação do quadril e que ajuda a dar estabilidade ao corpo, servindo como um amortecedor para os impactos aos quais o quadril é submetido, garantindo a flexibilidade e o movimento.

Dentro do labrum circula o líquido sinovial, que também é responsável pela lubrificação das articulações. Movimentos de flexão e rotação favorecem a ocorrência de lesões, que podem ser provenientes de traumatismos agudos ou repetitivos e ocasionam no vazamento do líquido com inflamação e liberação de substâncias que causam danos à cartilagem.

Guga Kuerten foi diagnosticado pela primeira vez em 2001. Sua terceira vitória em Roland Garros foi resistindo a intensas dores no quadril.

Outro famoso que já teve esse problema é o ator Cauã Reymond, que passou por cirurgia na época em que gravava a novela Passione.

Fique atento aos sintomas da lesão de labrum no quadril:
– Dor na virilha
– Estalido
– Sensaçao de falseio
– Limitação de movimento da articulação do quadril

JOELHO VALGO

 

O joelho valgo ficou popular graças ao personagem Kiko, do seriado Chaves, que tem as pernas tortas, em formato de “X” ou “tesoura”. Nesse caso, o problema contribui para deixar o personagem ainda mais divertido.

Entretanto, quem sofre do problema sabe que esse desalinhamento dos joelhos pode causar sérios danos ao funcionamento das articulações dos membros inferiores e da coluna.

Mais comum entre as mulheres, os joelhos são forçados “para dentro” e os pés se posicionam “para fora”, provocando o desalinhamento em formato de X. A descarga de peso na região lateral do joelho pode provocar o desenvolvimento de várias patologias, como dor femoropatelar, artrose, tendinites e lesões de cartilagem.

Geralmente o joelho valgo é uma característica anatômica fisiológica e não causa problemas. Nos casos de joelho valgo com desalinhamento do eixo do membro inferior e lesão de cartilagem associada, o procedimento cirúrgico pode ser necessário. A cirurgia pode ser uma osteotomia para corrigir o eixo nos pacientes mais jovens, ou uma artroplastia total do joelho nos casos mais avançados e nos idosos.

EM CAMPO GRANDE, THIAGO FUCHS PROFERE AULAS SOBRE QUADRIL

O Dr. Thiago Fuchs está em Campo Grande, neste sábado, aonde ministrou aulas sobre QUADRIL a convite da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

A ação faz parte do Programa de Educação Continuada sobre Quadril da SBOT

O cirurgião do joelho e do quadril, Thiago Fuchs, do Instituto Fuchs, deu aulas e coordenou discussões de casos clínicos no curso.

Entre os temas abordados pelo Dr. Thiago estão, o Impacto Femoroacetabular e a Artroscopia do Quadril.

XVII Congresso Brasileiro de Quadril

A atualização constante na área médica é fundamental para garantir aos pacientes tratamentos de ponta e, consequentemente, melhores resultados.

Esta é a visão do Dr. Thiago Fuchs, cirurgião especialista em joelho e quadril.

Neste feriado, ele está no Rio de Janeiro, participando do XVII Congresso Brasileiro de Quadril.

Confira 6 dos principais temas que serão abordados no congresso:

1- Medidas para melhorar os resultados na artroplastia do quadril
2- Artroplastia do quadril em pacientes jovens
3- Atividade física após artroplastia total do quadril
4- Infecção em artroplastia do quadril
5 – Artroscopia do quadril
6 – Lesões esportivas no quadril
7 – Revisão de artroplastia do quadril

BURSITE NO QUADRIL

Sabe aquela dor chata na lateral do quadril ou da coxa, que incomoda e atrapalha as tarefas cotidianas?

Se você tem sintomas como dor localizada nessa região, dificuldade de dormir de lado, rigidez na articulação do quadril ou sensibilidade excessiva ao toque na região, é importante fazer uma avaliação com um médico ortopedista. Pode ser a bursite de quadril – ou bursite trocantérica, como é conhecida tecnicamente – um problema muito comum, principalmente entre as mulheres de 40 a 60 anos.

A dor ocorre por causa da inflamação da bursa, que é uma “bolsa” localizada entre os músculos, tendões e ossos do quadril, em locais de atrito contra o osso, com o papel de amortecer e proteger os tendões. A bursite é a inflamação dessa bolsa, que pode ser provocada por esforços repetitivos, traumas, infecções, artrites, sobrecarga nos tendões e falta de alongamento muscular.

O diagnóstico é clínico – através da história e exame físico realizado no consultório, e muitas vezes complementado por exames de imagem, que confirmam o diagnóstico e ajudam excluir outras causas dos sintomas. É comum a bursite estar associada a outros problemas, como doença na coluna lombar, artrose no joelho e no quadril.

O tratamento é conservador na maioria dos casos, com medicações anti-inflamatórias e trabalho muscular para reequilíbrio da musculatura envolvida. Algumas vezes é necessária a infiltração de corticoide local. Geralmente observamos bons resultados com 6 meses de tratamento.

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h