Temas Atuais

CORRIDA x PROBLEMAS NO JOELHO

corrida e problemas no joelho 1

Um erro comum é ter “pressa” em perder peso. Muitas pessoas correm com peso excessivo e musculatura fraca, sobrecarregando os joelhos podendo causar dor e desgaste precoce da cartilagem.

A cada passada durante a corrida, os joelhos suportam cerca de três a seis vezes o peso corporal. Portanto, quem quer correr deve estar com um peso mais adequado e com boa musculatura nas coxas, pernas e quadril, para distribuir melhor os impactos sofridos pela articulação.

As pessoas que estão acima do peso devem realizar atividades de baixo impacto, como caminhadas, natação e hidroginástica, antes de iniciar atividades de impacto como as corridas.
Por isso a dica para as pessoas que querem praticar corrida ou outras atividades físicas é buscar orientação de um profissional para um preparo físico prévio, que inclui treino aeróbico (capacidade cardiovascular), fortalecimento muscular
e alongamentos.

Vale lembrar, que o excesso de exercícios, acima da capacidade física de cada um, também é um grande vilão causador de lesões e dores nas articulações, principalmente coluna, quadril e joelhos, já que são estas que suportam todo peso e impactos repetitivos.
Por isso, é muito importante estabelecer uma rotina de exercícios sem sobrecarga, onde seja reservando um espaço para o descanso dos músculos e articulações, para que estes possam se recuperar, evitando lesões.

SAIBA MAIS: www.institutofuchs.com.br

PRINCIPAIS PROBLEMAS DO QUADRIL #3

Saiba quais são os principais problemas nos quadris

Saiba quais são os principais problemas nos quadris

Hoje é o 3o e último dia da nossa Série SOBRE os PRINCIPAIS PROBLEMAS DO QUADRIL.

Estamos trazendo as causas mais comuns de dor no quadril . O objetivo é fazer com que as pessoas, sempre que sintam um desconforto ou dor diferente no quadril, procurem um médico especializado, evitando assim o agravamento do problema com o passar do tempo.

PUBALGIA – É um desequilíbrio funcional da musculatura do reto abdominal e adutores. É uma lesão relacionada ao esforço repetitivo na região da sínfise púbica, que causa dor na região inferior do abdome, ou na origem da musculatura adutora, muito comum em atletas. O exame clínico e os exames complementares permitem fazer o diagnóstico preciso da causa da pubalgia, avaliar a qualidade dos tendões, e avaliar o grau de edema ósseo na sínfese púbica. É importante fazer o diagnóstico diferencial e associação com as hérnias inguinais, lesão muscular, alterações ginecológicas / urológicas, impacto femoroacetabular e osteonecrose do quadril.

INSTABILIDADE DO QUADRIL: diagnóstico pouco frequente, geralmente feito em mulheres com frouxidão ligamentar global e hipermobilidade das articulações. Pode causar dor pela subluxação da cabeça femoral.

ARTROSE DO QUADRIL – A alteração degenerativa da cartilagem do quadril (desgaste) é muito comum nos idosos, e é chamada de coxartrose primária. Pacientes mais jovens podem ter artrose secundária a fatores preexistentes que causam a degeneração articular precoce. As doenças da infância como a displasia do quadril e o Perthes, o impacto femoroacetabular e a lesão do labrum, e a osteonecrose do quadril são as principais causa de coxartrose secundária do quadril. A artrose do quadril é uma das causas mais comuns de dor crônica no quadril , tanto nos atletas, quanto em pessoas sedentárias.

PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL #2

Confira alguns dos principais problemas nos quadris

Confira alguns dos principais problemas nos quadris

Seguindo a nossa série de posts sobre os PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL, vamos falar hoje sobre as CAUSAS MAIS COMUNS de dor no quadril .

É importante estar sempre atento quando começar a sentir algum sinal ou sintoma no quadril para realizar o tratamento necessário e prevenir uma condição crônica.

IMPACTO FEMOROACETABULAR – E causado por uma alteração óssea no fêmur e/ou acetábulo , onde ocorre um contato anormal ( impacto ) entre esses ossos durante os movimentos do quadril. Geralmente está relacionado às atividades com flexão e rotação do quadril. Pode causar lesão do labrum e da cartilagem, e consequentemente artrose do quadril.

LESÃO DO LABRUM – O labrum do quadril é uma válvula de tecido fibrocartilaginoso que circula a borda da articulação do quadril. Ele mantém a vedação/selo do quadril e aumenta a estabilidade da articulação. Quando a lesão labral acontece, ocorre a perda da vedação articular e uma parte deste tecido pode se soltar na articulação, causando dor ou estalos articulares, podendo levar a artrose no futuro.

HÉRNIAS- São defeitos na parede abdominal e podem causar do na região da virilha. A hérnia inguinal é a mais frequente. Geralmente causam nas atividades esportivas, ou em atividades do dia-a-dia, como levantar da cama e espirrar. Quando relacionadas ao esporte, geralmente acontecem em atividades que requerem esforço repetitivo com mudança de direção e explosão muscular.

PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL #1

Confira alguns dos principais problemas no quadril

Confira alguns dos principais problemas no quadril

Hoje iniciamos uma SÉRIE de TRÊS POSTS sobre os PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL

Para começar, vamos falar sobre as causas mais comuns de dor no quadril que, na maioria da população, incluem artrose, bursite, dores musculares e compressão nervosa.
Os atletas amadores e profissionais, no entanto, muitas vezes também têm dor no quadril causada por impactos diretos ou indiretos, e síndromes por uso excessivo.
Por isso, é importante para um pessoa, prestar atenção quando começar a sentir algum sinal ou sintoma no quadril, para realizar o tratamento necessário e prevenir uma condição crônica.

Conheça algumas das causas mais comuns de dor no quadril:

ESTIRAMENTO E LESÕES MUSCULARES – As dores no quadril e virilha são muitas vezes resultado de um estiramento do músculo adutor ou da origem do quadríceps. Esta lesão aguda do músculo é semelhante a outros locais do corpo, e quando a musculatura é forçada para além dos seus limites, pode ocorrer uma estiramento, lesão parcial ou total.

BURSITE TROCANTÉRICA – A inflamação da bursa ( bolsa de líquido que protege os tendões) sobre a parte lateral do quadril (trocânter do fêmur) é chamada de bursite trocantérica, e pode causar dor com o movimento, e dor para deitar de lado sobre o quadril afetado. O tratamento é na maioria das vezes eficaz, mas quando não tratada corretamente, pode se tornar um problema crônico e persistente.

FRATURA POR ESTRESSE- É geralmente diagnosticada nos corredores de longa distância, e muito mais comum em mulheres do que em homens. Esta lesão é geralmente vistas em atletas que praticam atividades de impacto de longa duração, excesso de treinos, e pode estar associada à alterações nutricionais ou endocrinológicas.

VOCÊ SABIA QUE O QUADRIL É A ARTICULAÇÃO SITUADA NA JUNÇÃO DO TRONCO COM O MEMBRO INFERIOR ?

quadril site

O quadril é formado pela ligação entre o osso do fêmur (da coxa) e o acetábulo (da bacia), com glúteos na sua parte posterior, e a virilha na parte anterior. Ambos os quadris têm papel essencial nos diversos movimentos do corpo, como de flexão e rotação do tronco.
O quadril é susceptível às lesões traumáticas e esportivas, patologias da infância / adolescência, e às alterações degenerativas da cartilagem, levando ao quadro de artrose.
As patologias do quadril mais avançadas (artrose) podem necessitar de tratamento cirúrgico com substituição articular por uma prótese (artroplastia). Os casos iniciais podem ser tratados conservadoramente ou com as técnicas de Cirurgia Preservadora do Quadril.

PEDALAR DE FORMA INADEQUADA PODE TRAZER PROBLEMAS PARA OS JOELHOS

POST-FUCHS-02-PEDALAR

Como todos sabem a bicicleta é opção para a prática esportiva e, para muitos, um meio de transporte eficiente para enfrentar o trânsito.

No entanto, é preciso alguns cuidados para garantir que a saúde do corpo seja mantida.

Quem anda de bicicleta de forma inadequada corre mais risco de sofrer LESÕES, ter dor e tendinites no joelho, e problemas na articulação femoropatelar. Isso ocorre devido ao ajuste inadequado da bicicleta e treinamento excessivo ou inadequado.

A TENDINITE é uma inflamação que acomete os tendões, que são estruturas localizadas entre os músculos e os ossos. É possível suspeitar da tendinite patelar quando existe dor anterior e uma hipersensibilidade no local do tendão.

Esses SINTOMAS podem piorar conforme o movimento. A dor também pode aparecer atrás do joelho, na parte interna e externa, dependendo do tendão afetado.

Na presença dos sintomas é importante consultar um MÉDICO ESPECIALISTA para uma avaliação completa, e se necessário, fazer exames. O especialista pode pedir para o paciente correr, saltar ou agachar para analisar a intensidade da dor. Exames como ultrassonografia e ressonância magnética podem auxiliar.

O tratamento – na maioria das vezes – é não cirúrgico, por meio de medicamentos antiinflamatórios e fisioterapia, para melhorar a biomecânica muscular e métodos adjuvantes para diminuir a inflamação – gelo, laser, ultrassom, entre outros .

Idosos com quadro degenerativo

 

degenarativo siteVocês sabiam que pessoas com mais idade ( 50 a 70 anos ) podem apresentar algum grau de Artrose do Joelho – “desgaste da articulação”, em função de atividades no trabalho, esportes praticados, ou pelo próprio envelhecimento?

Muitas vezes este desgaste da articulação está acompanhado da lesão dos meniscos, que funcionam como protetores e amortecedores da distribuição de carga no joelho.
Existe controvérsia na literatura mundial sobre se devemos ou não fazer cirurgia ( artroscopia do joelho ) nas lesões do menisco em pacientes com artrose.

Recentemente, um estudo publicado em revista internacional de grande impacto científico, mostrou que a artroscopia do joelho pode, quando bem indicada, trazer muitos benefícios nos pacientes com lesão do menisco com artrose inicial ou moderada, levando a melhora da qualidade de vida.

Referência: The role for arthroscopic partial meniscectomy in knees with degenerative changes – A SYSTEMATIC REVIEW – Bone Joint J 2016;98-B:934–8.

CUIDADOS COM O JOELHO NO FUTEBOL

futebol siteVilões do futebol

O movimento de rotação do corpo sobre os membros inferiores é o principal mecanismo responsável pelo ENTORSE das articulações.
As entorses do tornozelo são as lesões mais comuns do futebol, pois esta articulação é mais vulnerável aos traumas e às irregularidades do campo. Entretanto, o JOELHO é o mais afetado em termos de “gravidade de lesão”.

O rompimento total ou parcial do ligamento cruzado anterior, do ligamento colateral medial e a lesão do menisco são os principais vilões do atleta amador ou profissional. Dependendo da intensidade do trauma ou entorse, estes ligamentos podem se romper, necessitando de reconstrução cirúrgica em muitos casos.

Além das lesões nos joelhos, os atletas podem sofrer com contusões, que ocorrem principalmente com o contato entre jogadores durante treinos e partidas. As distensões ou rupturas musculares também são muito comuns, tanto no início (por falta de aquecimento) quanto no final das partidas (por fadiga muscular).

PREVENÇÃO É A MELHOR FORMA DE EVITAR LESÕES

Quando é preciso esticar um pouco mais a perna para receber aquele passe ou quando o movimento de rotação é feito de forma inesperada e brusca, os joelhos podem “reclamar”. Para não ser mais um atleta lesionado, antes de um jogo ou treino, faça um aquecimento adequado, use equipamentos de proteção, além de tênis ou chuteira adequada para cada terreno (campo de grama, sintético ou quadra). Além disso, outros cuidados como um bom condicionamento físico, alimentação adequada e um bom reforço muscular também podem diminuir os riscos de uma lesão, tanto para o atleta amador quanto para o profissional.

PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL

FOTO LESÃO NO QUADRIL

Hoje vamos falar sobre das causas mais comuns de dor no quadril que, na maioria da população, incluem artrose, bursite, dores musculares e compressão nervosa.
Além desses problemas, os atletas amadores e profissionais podem ter dor no quadril causada por impactos diretos ou indiretos, e síndromes por uso excessivo.
Por isso, é importante prestar atenção quando começar a sentir algum sinal ou sintoma no quadril, e buscar a orientação de um especialista para realizar o tratamento necessário e prevenir uma condição crônica.

CONHEÇA ALGUMAS DAS CAUSAS MAIS COMUNS DE DOR NO QUADRIL:

ESTIRAMENTO E LESÕES MUSCULARES – As dores no quadril e virilha são muitas vezes resultado de um estiramento do músculo adutor ou da origem do quadríceps. Esta lesão aguda do músculo é semelhante a outros locais do corpo, e quando a musculatura é forçada para além dos seus limites, pode ocorrer uma estiramento, lesão parcial ou total.

BURSITE TROCANTÉRICA – A inflamação da bursa ( bolsa de líquido que protege os tendões) sobre a parte lateral do quadril (trocânter do fêmur) é chamada de bursite trocantérica, e pode causar dor com o movimento e dor para deitar de lado sobre o quadril afetado. O tratamento é na maioria das vezes eficaz, mas quando não tratada corretamente, pode se tornar um problema crônico e persistente.

FRATURA POR ESTRESSE – São geralmente diagnosticadas nos corredores de longa distância, e muito mais comum em mulheres do que em homens. Estas lesões são geralmente vistas em atletas que praticam atividades de impacto de longa duração, excesso de treinos, normalmente estão associadas com alterações nutricionais ou endocrinológicas. É causada pelo micro-trauma repetitivo no osso ao longo da atividade física.

IMPACTO FEMOROACETABULAR – E causado por uma alteração óssea no fêmur e/ou acetábulo , onde ocorre um contato anormal ( impacto ) entre esses ossos durante os movimentos do quadril. Geralmente está relacionado às atividades com flexão e rotação do quadril. Pode causar lesão do labrum e da cartilagem, e consequentemente artrose do quadril.

LESÃO DO LABRUM – O labrum do quadril é uma válvula de tecido fibrocartilaginoso que circula a borda da articulação do quadril. Ele mantém a vedação/selo do quadril e aumenta a estabilidade da articulação. Quando a lesão labral acontece, ocorre a perda da vedação articular e uma parte deste tecido pode se soltar na articulação, causando dor ou estalos articulares, podendo levar a artrose no futuro.

HÉRNIAS- São defeitos na parede abdominal e podem causar do na região da virilha. A hérnia inguinal é a mais frequente. Geralmente causam nas atividades esportivas, ou em atividades do dia-a-dia, como levantar da cama e espirrar. Quando relacionadas ao esporte, geralmente acontecem em atividades que requerem esforço repetitivo com mudança de direção e explosão muscular.

PUBALGIA – É um desequilíbrio funcional da musculatura do reto abdominal e adutores. É uma lesão relacionada ao esforço repetitivo na região da sínfise púbica, que causa dor na região inferior do abdome, ou na origem da musculatura adutora, muito comum em atletas. O exame clínico e os exames complementares permitem fazer o diagnóstico preciso da causa da pubalgia, avaliar a qualidade dos tendões, e avaliar o grau de edema ósseo na sínfese púbica. É importante fazer o diagnóstico diferencial e associação com as hérnias inguinais, lesão muscular, alterações ginecológicas / urológicas, impacto femoroacetabular e osteonecrose do quadril.

INSTABILIDADE: diagnóstico pouco frequente, geralmente feito em mulheres com frouxidão ligamentar global e hipermobilidade das articulações. Pode causar dor pela subluxação da cabeça femoral.

ARTROSE DO QUADRIL – A alteração degenerativa da cartilagem do quadril (desgaste) é muito comum nos idosos, e é chamada de coxartrose primária. Pacientes mais jovens podem ter artrose secundária a fatores preexistentes que causam a degeneração articular precoce. As doenças da infância como a displasia do quadril e o Perthes, o impacto femoroacetabular e a lesão do labrum, e a osteonecrose do quadril são as principais causa de coxartrose secundária do quadril. A artrose do quadril é uma das causas mais comuns de dor crônica no quadril , tanto nos atletas, quanto em pessoas sedentárias.

Alongamento depois da musculação pode favorecer a incidência de lesões

Hoje trazemos algumas alongamento pós corrida

Você sabia que após a musculação os músculos ficam um pouco tensionados e forçá-los pode causar problemas no desempenho e aumentar o risco de lesões?

Por isso, é bom PEGAR LEVE nos alongamentos pós-treino. Alongue apenas para induzir o corpo ao relaxamento e não exija muito da flexibilidade.

Ao realizar um ALONGAMENTO após o treino, a pessoa/atleta está “esticando” uma musculatura repleta de micro-rupturas das fibras musculares, o que poderá aumentar ainda mais o tamanho da lesão e comprometer sua cicatrização.

Imagine o que acontece se você pega e estica uma meia calça. Não precisa ser mulher para saber que o desfiado aumenta de tamanho. O mesmo acontece com a sua MUSCULATURA.

Nosso corpo pode lidar com as micro-lesões causadas pelo trabalho de hipertrofia muscular, pois está preparado para isso. Porém, muitas vezes não consegue dar conta do recado quando promovemos um estiramento ou alongamento excessivo das micro-rupturas.

Além disso, alongar a musculatura quando ela está extremamente aquecida pode ser perigoso, uma vez que a sua tolerância para dor pode estar alterada graças à liberação de endorfinas, aumento de circulação sanguínea, aumento da mobilidade articular e diminuição da tensão muscular.

O músculo está fadigado e, com isso, aumenta o risco de “passar dos limites” do alongamento sem sentir dor.
Então, pode ficar tranquilo, porque não há necessidade biológica de alongar excessivamente depois do treino de musculação.

 

SIGA-NOS NO INSTAGRAM: Instituto_Fuchs

SIGA-NOS NO FACEBOOK: Instituto Fuchs

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h