Tratamentos

Lesões da cartilagem do joelho

As lesões da cartilagem do joelho podem surgir espontaneamente ou após trauma (mais comum). Podem ser isoladas ou associadas às lesões dos meniscos ou ligamentos.

Nas lesões pequenas e poucos sintomáticas, podemos realizar tratamento clínico com medicação e reabilitação. Nas lesões maiores e que apresentam sintomas de repetição, o tratamento cirúrgico pode ser necessário. A cirurgia na maioria dos casos é realizada por artroscopia. Em alguns casos, a viscossuplementação com infiltração de ácido hialurônico pode ser indicada como terapia biológica no tratamento das lesões de cartilagem.

Dependendo do tipo, localização e tamanho da lesão, pode ser realizado o desbridamento da lesão, microperfurações, transplante osteocondral ou de células da cartilagem. Estes tratamentos apresentam melhores resultados em pacientes com lesões isoladas e abaixo de 45 anos.

4 vantagens da artroscopia do quadril

Artroscopia é uma técnica cirúrgica pela qual os tratamentos são realizados sem a necessidade de grandes incisões (cortes) na pele, sendo realizada apenas por pequenos orifícios. O principal objetivo da artroscopia do quadril é o de tratar a dor e a lesão em um estágio precoce, para tentar evitar a progressão e o aparecimento de doenças crônicas, que exijam tratamentos maiores, como uma prótese de quadril.

Conheça 4 vantagens da artroscopia do quadril:
  1. Procedimento minimamente invasivo, com curto período de internação (menos de 1 dia);
  2. Permite abordar variados tipos de problemas do quadril;
  3. Perda sanguínea desprezível;
  4. Pouca dor e pequena limitação funcional.

Este conjunto de características reduz os riscos de complicações, garante autonomia precoce ao paciente operado e permite recuperação mais rápida.

O que é e para que serve a artroscopia do quadril?

Artroscopia é uma técnica cirúrgica pela qual os tratamentos são realizados sem a necessidade de grandes incisões (cortes) na pele, sendo realizada apenas por pequenos orifícios.

Através destes orifícios, utilizam-se uma microcâmera (ótica) e diversos instrumentais especiais, capazes de reparar as lesões trabalhando em um espaço restrito, sem danificar as estruturas circundantes.O principal objetivo da artroscopia do quadril é o de tratar a dor e a lesão em um estágio precoce, para tentar evitar a progressão e o aparecimento de doenças crônicas, que exijam tratamentos maiores, como uma prótese de quadril.

Este é o foco dos procedimentos preservadores articulares: restaurar uma anatomia funcional e restabelecer o equilíbrio biomecânico para oferecer às articulações nativas as melhores condições de funcionamento possíveis.

O que você precisa saber sobre a ARTROSCOPIA DO JOELHO

CONSULTA:
A primeira etapa é a consulta com um médico cirurgião especialista em joelho. Nessa etapa será realizada a avaliação clínica e dos exames complementares para fazer o diagnóstico do problema (lesão do menisco, da cartilagem, etc). Após o diagnóstico, o tratamento mais indicado para cada caso é proposto ao paciente, e em muitos casos pode ser uma artroscopia do joelho.
 
PRÉ-OPERATÓRIO:
A rotina pré-operatória inclui: exames de sangue, eletrocardiograma e consulta pré-anestésica. Uma reunião pré-operatória na semana anterior ao procedimento também é realizada para orientações gerais sobre a cirurgia, medicações necessárias e detalhes sobre horários e internação hospitalar.
Neste dia também é feita uma avaliação com um fisioterapeuta para orientações sobre a fase inicial da fisioterapia e cuidados necessários nos primeiros dias após a cirurgia.
 
INTERNAÇÃO HOSPITALAR:
O tempo de internação hospitalar é de geralmente 6 a 8 horas, e o paciente recebe alta no mesmo dia do procedimento. O tempo cirúrgico de uma artroscopia do joelho é de aproximadamente 20 a 30 minutos. A anestesia mais comum é geral (sedação profunda) associada à anestesia local com infiltração de medicações dentro do joelho; mas isto é decidido junto com o anestesista na avaliação pré-anestésica.
 
PÓS-OPERATÓRIO:
Após a alta hospitalar, o paciente deve usar medicações (analgésicos simples e anti-inflamatórios) por 5 a 7 dias e compressas com gelo. O curativo é realizado diariamente em casa. Na maioria dos casos, não é necessário o uso de muletas após a artroscopia do joelho.
 
REABILITAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA:
A fisioterapia é iniciada já na primeira semana, geralmente no dia seguinte à cirurgia, e deve ser realizada por 6 a 12 semanas.
Dirigir e as atividades de trabalho sem grande demanda física podem recomeçar 2 dias após o procedimento.
Atividades esportivas e trabalho com maior demanda física geralmente recomeçam entre 45-60 dias após a artroscopia do joelho.

Como é a recuperação da artroscopia do joelho

A artroscopia do joelho é uma cirurgia de baixo risco de complicações, que dura geralmente cerca de 20 a 30 minutos, e por isso seu tempo de recuperação também é muito mais rápido que a cirurgia aberta.
Mas, como em todo procedimento, este tempo pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o tempo de cicatrização, idade, tipo e gravidade do problema tratado.

No entanto, na maioria dos casos, a artroscopia do joelho permite que o paciente volte para casa no mesmo dia da cirurgia.

Confira alguns cuidados que devem ser tomados por pacientes que passam pela artroscopia do joelho:
1- Ficar de repouso relativo, evitando andar muito e dirigir por 2 dias;
2- Manter a perna elevada quando deitado para diminuir o inchaço;
3-Aplicar uma bolsa de gelo na região do joelho 4 vezes ao dia, para reduzir o inchaço e a dor;
4- Tomar os medicamentos receitados pelo médico no horário correto, para manter a dor bem controlada;

Além disso, é muito importante realizar fisioterapia para reabilitação. A fisioterapia reduz o processo inflamatório e a dor, ajuda a retomar a força muscular e recuperar a mobilidade do joelho, que pode ficar prejudicada após a cirurgia.

A atividade física normalmente pode ser retomada entre 6 a 12 semanas após a artroscopia.

Nós, do Instituto Fuchs – Cirurgia do Joelho e Quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959

Controle da dor no pós-operatório da artroplastia total do joelho

A artroplastia total do joelho (prótese), que é realizada em pacientes com artrose causada por doenças degenerativas ou inflamatórias, apresentou grande evolução nos últimos 30 anos. Melhor qualidade dos materiais e implantes, técnicas cirúrgicas menos invasivas e métodos de fixação da prótese mais adequados demonstram resultados funcionais mais satisfatórios e aumentaram a sobrevida da prótese em longo prazo (acima de 90% em 15 anos).

Na última década houve grande ênfase em relação ao grau de satisfação dos pacientes, e isto está diretamente relacionado com o controle da dor no pós-operatório da cirurgia.

Este controle utiliza protocolos multimodais de manejo da dor, que se baseiam em medidas e medicamentos no pré-operatório, durante a cirurgia através do tipo de anestesia associada à medicamentos injetados na articulação e na ferida operatória, e no pós-operatório, com o uso de diversos medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e medicações de diminuem a sensibilidade a dor. Todos esses protocolos diminuem a dor durante a internação e no pós-operatório, e minimizam o uso de narcóticos / opióides, que frequentemente apresentam efeitos colaterais com desconforto aos pacientes.

A utilização desta abordagem multimodal diminui o tempo permanência no hospital (aproximadamente 2 dias), e facilita a reabilitação na fisioterapia e recuperação geral do paciente.

Referências:
– Multimodal Pain Management after Total Hip and Knee Arthroplasty at the Ranawat Orthopaedic Center / Clin Orthop Relat Res (2009) 467:1418 –1423.
– The 2012 Chitranjan Ranawat Award: Intraarticular Analgesia After TKA Reduces Pain: A Randomized, Double-blinded, Placebo-controlled, Prospective Study / Clin Orthop Relat Res (2013) 471:64–75.
– Advances in pain management – GAME CHANGERS IN KNEE ARTHROPLASTY/Bone Joint J 2014;96-B(11 Suppl A):7–9.
– Perioperative Management in Total Knee Arthroplasty / Curr Orthop Pract. 2015; 26(3):217-223.

By Thiago Fuchs • Publicações • • Tags: artroplastia do joelho, artrose do joelho

Artroscopia do quadril para lesão do labrum em adolescentes apresenta ótimos resultados

 

A lesão do labrum acetabular em adolescentes geralmente está relacionada às alterações ósseas do impacto femoroacetabular, displasia do quadril e hipermobilidade articular.
Quando sintomática, a lesão do labrum pode precisar de uma artroscopia do quadril para tratamento definitivo.
Diversos estudos na literatura mundial demonstram excelentes resultados da artroscopia do quadril para tratamento da lesão do labrum e do impacto femoroacetabular, com alta taxa de satisfação e excelentes scores funcionais.
Saiba mais sobre lesão do labrum e artroscopia do quadril em nosso site www.institutofuchs.com.br .

Superfícies de contato que podem ser utilizadas na prótese total de quadril.

Olá pessoal !
Hoje trazemos para vocês OS TIPOS de superfícies de contato que podem ser utilizados na prótese total de quadril.
 
1- Metal-polietileno: Popularizou-se no fim dos anos 60, e até hoje é utilizado em pacientes mais idosos ou com demanda funcional baixa. Sua desvantagem é o desgaste com o decorrer dos anos e a reação do organismo aos micros fragmentos de plástico resultantes deste desgaste, que pode levar à soltura do implante.
 
Atualmente dispomos de um tipo especial de polietileno, chamado de cross-linked. Este é muito mais resistente e mais durável do que o polietileno tradicional, segundo evidências científicas já estabelecidas. Esta evolução na qualidade do material permitiu que a indicação deste tipo de superfície fosse ampliada para pacientes mais jovens e mais ativos.
 
2- Cerâmica-polietileno: é uma opção bastante interessante. A cerâmica tem uma afinidade maior com a água e permite uma melhor lubrificação e um menor desgaste do polietileno em longo prazo. Pode ser usada em combinação com o polietileno crosslinked, aumentando ainda mais sua longevidade. É uma ótima opção em paciente jovens praticantes de atividades físicas.
 
LEIA MAIS SOBRE OS OUTROS TIPOS DE MATERIAL EM NOSSO BLOG:
 
3- Cerâmica-cerâmica: é a opção que menos apresenta desgaste em longo prazo. Costuma ser a opção mais usada em pacientes jovens.
Seu uso popularizou-se na Europa, aonde foi desenvolvida nos anos 70. É curioso notar que mais de 90% das cerâmicas usadas em todo mundo, inclusive no Brasil, se originam da mesma fábrica na Alemanha.
 
4- Metal-metal: atualmente a utilização desta superfície de contato é na artroplastia tipo resurfacing, que é um modelo especial de prótese de quadril indicado para alguns casos muito específicos, geralmente homens, jovens praticantes de atividades físicas de alto impacto. Sua utilização em próteses totais clássicas atualmente é muito baixa devido aos problemas relacionados aos debris metálicos produzidos pelo desgaste.
 

COMO IDENTIFICAR E TRATAR A ARTROSE DO JOELHO

A artrose no joelho é uma alteração degenerativa e inflamatória da articulação que provoca sinais como:
1. Dor no joelho após esforços e alívio parcial com o repouso. Em uma fase mais avançada, as dores mesmo na cama em repouso podem atrapalhar o sono;
2. Perda do alinhamento da perna progressivo: o joelho “entorta”;
3. Rigidez ao se levantar da cama de manhã ou após longos períodos de repouso. Geralmente, passa após 30 minutos ou quando começam as atividades normais do dia-a-dia;
4. Presença de estalos ao movimento ou “crepitações”;
5. Inchaço e calor: geralmente na fase inflamatória;
6. Sensação de aumento de tamanho do joelho: devido ao crescimento dos ossos (osteófitos) ao redor do joelho;
7. Movimentos mais limitados: especialmente para dobrar e esticar o joelho totalmente;
8. Dificuldade em apoiar o membro inferior afetado;
9. Músculos da coxa mais fracos e mais atrofiados.

Em alguns pacientes é muito comum o acometimento de ambos os joelhos, porém os sintomas podem ser diferentes de um para o outro, e isso geralmente está relacionado ao grau de comprometimento de cada articulação.

Com o passar do tempo e evolução da artrose, as deformidades da articulação e dores vão aumentando, piorando a cada dia a qualidade de vida do paciente.

O tratamento da artrose do joelho pode ser clínico (conservador) ou cirúrgico dependendo do grau de acometimento, idade e atividade do paciente.

No tratamento clínico indicamos fisioterapia, hidroterapia, exercícios de baixo impacto, medicações analgésicas / antiinflamatórias / condroprotetoras e às vezes infiltrações com ácido hialurônico (viscossuplementação).

No tratamento cirúrgico pode ser indicada uma osteotomia (correção do eixo do joelho), artroplastia (prótese) total ou parcial do joelho.

Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais sobre tratamentos para artrose do joelho.

 

O que você precisa saber sobre a ARTROSCOPIA DE QUADRIL em 5 passos

1- CONSULTA

A primeira etapa é a consulta com um médico especialista em artroscopia do quadril. Nessa etapa será realizada a avaliação clínica e dos exames complementares para fazer o diagnóstico do problema (impacto femoroacetabular, lesão do labrum e da cartilagem, etc). Após o diagnóstico, o tratamento mais indicado para cada caso é proposto ao paciente, e em muitos casos pode ser uma artroscopia do quadril.

2- PRÉ-OPERATÓRIO:
A rotina pré-operatória inclui: exames de sangue, eletrocardiograma e consulta pré-anestésica. Uma reunião pré-operatória na semana anterior ao procedimento também é realizada para orientações gerais sobre a cirurgia, medicações necessárias e detalhes sobre horários e internação hospitalar.
Neste dia também é feita uma avaliação com um fisioterapeuta para orientações sobre a fase inicial da fisioterapia e cuidados necessários nos primeiros dias após a cirurgia.

3- INTERNAÇÃO HOSPITALAR:
O tempo de internação hospitalar geralmente é de 1 dia, e o paciente recebe alta no dia seguinte ao procedimento. O tempo cirúrgico de uma artroscopia do quadril é de aproximadamente 60 a 90 minutos. A anestesia geralmente é raquidiana associada a anestesia geral (sedação profunda) para maior conforto do paciente no posicionamento na mesa de tração.

4- PÓS-OPERATÓRIO:
Após a alta hospitalar, o paciente deve usar medicações (analgésicos simples e anti-inflamatórios) por 5 a 7 dias, e uma medicação por 30 dias para prevenção de ossificação heterotópica. O curativo é realizado diariamente em casa. O paciente recebe alta com apoio liberado (andar) com auxílio de 2 muletas por 2 a 3 semanas.

5- REABILITAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA:

A fisioterapia é iniciada já na primeira semana, geralmente no dia seguinte à cirurgia, e deve ser realizada por 3 a 4 meses.
Dirigir está autorizado após a retirada das muletas, entre 2 e 3 semanas.
Atividades de trabalho sem grande demanda física podem recomeçar 2 a 3 dias após o procedimento. Atividades laborais com maior exigência física geralmente recomeçam com 3 meses após a cirurgia.
O retorno gradativo às atividades físicas inicia no 4˚ mês após a artroscopia do quadril, com trabalho de fortalecimento muscular e atividades aeróbicas sem impacto.
Corrida, esportes de impacto e treinos para competição geralmente iniciam após 6 meses de cirurgia.

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h