Tratamentos

Saiba quais os resultados e a durabilidade da artroplastia do joelho

Resultados e durabilidade da artroplastia do joelho

A artroplastia (prótese) do joelho é uma cirurgia que substitui a superfície articular por uma prótese metálica e de polietileno.

Existem basicamente dois tipos de artroplastia do joelho, a total e a parcial (unicompartimental). Na artroplastia total do joelho, toda a superfície articular de carga é trocada. A substituição do componente patelar pode ser necessária em alguns casos. Na artroplastia unicompartimental do joelho, apenas o lado mais afetado da área de carga articular é substituído.�

Atualmente, a durabilidade média de uma artroplastia total do joelho é de 15 a 20 anos e as taxas de complicações são baixas. Estudos dos órgãos de saúde dos EUA mostram que em 2015 foram feitas 1 milhão de próteses de joelho no país, e que em 2030 serão realizadas 3,5 milhões de próteses de joelho.

De acordo com o Dr. Rogério Fuchs – especialista em cirurgia do joelho do Instituto Fuchs, é necessário que todas as etapas do tratamento cirúrgico sejam realizadas da melhor forma possível para a obtenção de resultados satisfatórios.

A indicação correta do procedimento por parte do médico é o primeiro passo. Em seguida uma completa avaliação pré-operatória do estado clínico geral do paciente é fundamental e reduz o risco de complicações. A cirurgia deve ser realizada por equipe bem treinada e capacitada.
A escolha de hospital adequado, com os padrões nacionais e internacionais de qualidade, também contribui para o sucesso da cirurgia.

Seguindo todos estes pré-requisitos a taxa de resultados satisfatórios para o paciente é de 90% a 95%, com grande alívio dos sintomas e melhora da qualidade de vida, que é o principal objetivo do tratamento destes pacientes.

Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais sobre artroplastia do joelho.

4 etapas para a Cirurgia de Prótese Total do Quadril

1- Consulta: A primeira etapa é a consulta com um médico cirurgião especialista em quadril. Nessa etapa será realizada a avaliação clínica e dos exames complementares para fazer o diagnóstico do problema (artrose do quadril, lesão de cartilagem, osteonecrose, sequelas de problemas da infância, etc). Após o diagnóstico, o tratamento mais indicado para cada caso é proposto ao paciente, e em muitos casos pode ser uma artroplastia total do quadril (prótese do quadril).

2- Pré-operatório:
A rotina pré-operatória inclui: exames de sangue, avaliação com um cardiologista e consulta pré-anestésica. Outras avaliações podem ser necessárias dependendo das condições de saúde de cada paciente (vascular, infectologista, endócrinologista, nefrologista ou outros). Uma reunião pré-operatória na semana anterior ao procedimento também é realizada para orientações gerais sobre a cirurgia, medicações necessárias, prevenção de trombose (TVP), cuidados para evitar deslocamento (luxação) da prótese, e detalhes sobre horários e internação hospitalar.
Neste dia também é feita uma avalição com um fisioterapeuta para orientações sobre a fase inicial da fisioterapia, cuidados necessários nos primeiros dias após
a cirurgia, além dos movimentos e posições de risco em uma prótese total do quadril.

3- Internação Hospitalar:
O tempo de internação hospitalar geralmente é de 2 dias, e o paciente recebe alta andando, com apoio parcial do membro operado com auxílio de 2 muletas ou andador. O tempo cirúrgico de uma prótese total do quadril é aproximadamente de 60 a 90 minutos. A anestesia geralmente é raquidiana, associada à infiltração de medicações dentro do quadril para maior analgesia no pós-operatório imediato. A fisioterapia inicia no hospital, já no 1˚ dia após a cirurgia, para mobilização, treino de marcha e prevenção de trombose.

4- Reabilitação pós-operatória:

Após a alta hospitalar, a reabilitação com fisioterapia é iniciada já na primeira semana, geralmente no dia seguinte à alta, e deve ser realizada por 3 a 6 meses.
Dirigir está autorizado após a retirada das muletas ou do andador, geralmente com 4 semanas.
Atividades de trabalho sem grande demanda física podem recomeçar após 2 a 4 semanas após o procedimento.
O retorno gradativo às atividades físicas leves inicia no 4˚ mês após a cirurgia com trabalho de fortalecimento e alongamento muscular. Geralmente após 6 meses, as atividades físicas habituais de cada paciente são retomadas progressivamente.

CONFIRA OS 5 PASSOS NECESSÁRIOS PARA A CIRURGIA DE RECONSTRUÇÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR (LCA)

1- Consulta: A primeira etapa é a consulta com um médico cirurgião especialista em joelho. Nessa etapa será realizada a avaliação clínica e dos exames complementares para fazer o diagnóstico do problema (lesão do LCA, meniscos, cartilagem, etc). Após o diagnóstico, o tratamento mais indicado para cada caso é proposto ao paciente, e em muitos casos pode ser uma cirurgia para reconstrução do LCA.

2- Pré-operatório:
A rotina pré-operatória inclui: exames de sangue, eletrocardiograma e consulta pré-anestésica. Uma reunião pré-operatória na semana anterior ao procedimento também é realizada para orientações gerais sobre a cirurgia, medicações necessárias e detalhes sobre horários e internação hospitalar.
Neste dia também é feita uma avaliação com um fisioterapeuta para orientações sobre a fase inicial da fisioterapia e cuidados necessários nos primeiros dias após a cirurgia.

3- Internação Hospitalar:
O tempo de internação hospitalar geralmente é de 1 dia, e o paciente recebe alta no dia seguinte ao procedimento. O tempo cirúrgico de uma reconstrução do LCA por artroscopia é de 60 a 90 minutos. A anestesia geralmente é raquidiana associada à infiltração de medicações dentro do joelho para maior analgesia no pós-operatório imediato. Dependendo da técnica e do tipo de enxerto escolhido, o paciente pode ficar com um dreno no joelho até a manhã seguinte à cirurgia.

4- Pós-Operatório:
Após a alta hospitalar, o paciente deve usar medicações (analgésicos simples e anti-inflamatórios) por 7 a 10 dias, e compressas de gelo 4x/dia por 2 semanas. O curativo é realizado diariamente em casa. O paciente recebe alta com apoio liberado (andar) com auxílio de 1 ou 2 muletas por 2 semanas.

5- Reabilitação pós-operatória:
A fisioterapia é iniciada já na primeira semana, geralmente no dia seguinte à cirurgia, e deve ser realizada por 4 a 6 meses.
Dirigir está autorizado após a retirada das muletas, geralmente com 2 semanas.
Atividades de trabalho sem grande demanda física podem recomeçar 2 a 3 dias após o procedimento. Atividades laborais com maior exigência física geralmente recomeçam 3 meses após a reconstrução do LCA.
O retorno gradativo às atividades físicas inicia no 4˚ mês após a cirurgia com trabalho de fortalecimento muscular e corrida gradativa progressiva e supervisionada.
Esportes de impacto, futebol e treinos competitivos geralmente iniciam após 6 meses de cirurgia.

Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais sobre reconstrução do LCA

TIPOS DE PRÓTESE DE QUADRIL

A utilização de um implante (prótese) de qualidade é fundamental para garantir bons resultados e durabilidade aos pacientes que passam por uma artroplastia total de quadril.

Existe no mercado mundial uma infinidade de modelos e fabricantes de próteses, variando desde o tipo de fixação da prótese ao osso, até o tipo de material utilizado nos componentes e nas superfícies de contato onde ocorre o movimento.

Da mesma forma que um quadril natural, a prótese de quadril possui basicamente 2 partes: acetabular e femoral. A fixação ao osso pode ser com cimento ósseo ou não-cimentada, onde os componentes são impactados no osso.

O componente acetabular não-cimentado é composto de uma cúpula metálica e um revestimento interno que pode ser de cerâmica, polietileno ou metal. O acetábulo cimentado é feito totalmente de polietileno.

O componente femoral é composto de duas partes: haste e cabeça femoral. A haste é feita de metal, sendo polida nas hastes cimentadas e de superfície porosa nas não-cimentadas. A cabeça femoral pode ser feita de metal e cerâmica.

QUAIS AS PRINCIPAIS INDICAÇÕES PARA ARTROSCOPIA DO QUADRIL ?

As indicações mais frequentes são:

– Impacto Femoroacetabular: para remodelação óssea (osteocondroplastia).

– Lesões do Labrum acetabular: para sua reparação ou reinserção com o uso de pequenas âncoras.

Outras indicações incluem:

– Retirada de corpos livres ou corpos estranhos da articulação;
– Reparo de lesões dos tendões do glúteo médio e mínino, e síndrome da dor lateral do quadril (bursite do quadril);
– Quadril em Ressalto (Coxa Saltans).
– Tratamento de lesões de cartilagem traumáticas e atraumáticas;
– Lesões do ligamento redondo;
– Sinovites, como a sinovite vilonodular pigmentada;
– Síndrome da dor glútea profunda ou síndrome do piriforme: para liberação do nervo ciático;
– Algumas sequelas de patologias pediátricas, como Legg-Perthes e epifisiolise para remoção de corpos livres ou osteocondroplastia;
– Biópsias.
Nós, do Instituto Fuchs – cirurgia do joelho e quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959

COMO É A RECUPERAÇÃO DA ARTROCOPIA DO JOELHO

A artroscopia do joelho é uma cirurgia de baixo risco de complicações, que dura geralmente cerca de 20 a 30 minutos, e por isso seu tempo de recuperação também é muito mais rápido que a cirurgia aberta.A artroscopia do joelho é uma cirurgia de baixo risco de complicações, que dura geralmente cerca de 20 a 30 minutos, e por isso seu tempo de recuperação também é muito mais rápido que a cirurgia aberta.
Mas, como em todo procedimento, este tempo pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o tempo de cicatrização, idade, tipo e gravidade do problema tratado.
No entanto, na maioria dos casos, a artroscopia do joelho permite que o paciente volte para casa no mesmo dia da cirurgia.
Confira alguns cuidados que devem ser tomados por pacientes que passam pela artroscopia do joelho:
1- Ficar de repouso relativo, evitando andar muito e dirigir por 2 dias;
2- Manter a perna elevada quando deitado para diminuir o inchaço;
3-Aplicar uma bolsa de gelo na região do joelho 4 vezes ao dia, para reduzir o inchaço e a dor;
4- Tomar os medicamentos receitados pelo médico no horário correto, para manter a dor bem controlada;

Além disso, é muito importante realizar fisioterapia para reabilitação. A fisioterapia reduz o processo inflamatório e a dor, ajuda a retomar a força muscular e recuperar a mobilidade do joelho, que pode ficar prejudicada após a cirurgia.

A atividade física normalmente pode ser retomada entre 6 a 12 semanas após a artroscopia.

Nós, do Instituto Fuchs – Cirurgia do Joelho e Quadril, estamos prontos para atendê-los.
Ligue e marque uma consulta: (41)3026-6959

ARTROSE DE QUADRIL

Vocês sabiam que, assim como outras articulações que carregam o seu peso, os quadris podem apresentar o risco de desenvolver artrose ou “desgaste” (osteoartrose), que é a forma mais comum desta doença?

Os ossos do quadril são revestidos por um tecido muito liso e macio, a cartilagem articular. Ela está nas extremidades dos ossos, que ajuda a articulação do quadril a deslizar suavemente, e pode desgastar.

Os primeiros sintomas podem aparecer como um leve desconforto e rigidez na virilha, nádegas ou coxa logo pela manhã e vão aumentando gradualmente, conforme o ritmo dos movimentos.

Sem tratamento adequado, a articulação do quadril pode ficar dura e inflamada. “Bicos-de-papagaio” (osteófitos) podem surgir nas arestas da articulação.

Se ocorrer o desgaste completo da cartilagem, os movimentos podem ficar comprometidos, pois o movimento contribui para o aparecimento de dores intensas.

O mesmo pode ocorrer com ações simples do cotidiano, como girar, flexionar e estender o quadril.

IDENTIFIQUE O PROBLEMA

Se você perceber estes sinais, marque uma consulta com o ortopedista:

– Dificuldade de cruzar as pernas;
– Dificuldade de colocar sapatos e meias;
– Dificuldade de lavar os pés;
– Dificuldade de dormir à noite;
– Dificuldade de caminhar;
– Mancar (marcha claudicante);
– Dificuldade ficar em pé por longos períodos.

No Instituto Fuchs somos referência em tratamento do QUADRIL. Ligue e marque a sua consulta pelo telefone (41) 3026-6959

Recuperação após atroscopia do joelho

A artroscopia é uma técnica cirúrgica muito utilizada para tratar várias patologias na articulação do joelho, como a lesão do menisco, do ligamento cruzado anterior (LCA), da cartilagem, e também para tratar casos de inflamação crônica, instabilidade patelar e remoção de fragmentos osteocondrais de dentro do joelho.
O procedimento é muito pouco invasivo, pois é realizado no interior da articulação do joelho através de pequenas incisões na pele, com o auxílio de uma microcâmera e pinças especiais.
Seguindo corretamente as orientações pós operatórias prescritas, a recuperação do paciente costuma ser bastante rápida e menos dolorosa quando comparada à cirurgia aberta.
Veja as principais orientações no pós-cirúrgico:
– Tomar as medicações indicadas é importante tanto no controle da dor quanto cuidados com inflamação, trombose e infecção;
– Deixar a perna elevada ao descansar estimula a circulação sanguínea e o sistema linfático, evitando o acúmulo e retenção de líquido na perna ou joelho;
– Fazer compressas de gelo para evitar inchaço e reduzir a inflamação;
– Iniciar a fisioterapia precoce para controle da dor, redução da inflamação e recuperação da força muscular;
– Realizar os exercícios prescritos. O movimento da articulação facilita a processo de cicatrização e evita perda de mobilidade.
Na maioria dos casos, dentro de seis a oito semanas já é possível retomar a rotina e também a maioria das atividades físicas.
Se você tem dores nos joelhos ou alguma das lesões citadas, procure um médico especialista de joelho e com experiência neste tipo de tratamento. A solução pode ser mais simples e rápida do que você imagina.

Nós, do Instituto Fuchs, estamos prontos para atendê-los. Cuide do seu joelho.
Ligue e marque uma consulta: (41) 3026-6959 ou acesse www.institutofuchs.com.br e saiba mais.

APRENDA A TRATAR E A PREVENIR DORES NAS ARTICULAÇÕES

A dor articular, ou dor nas articulações, causa sensação de desconforto em uma ou mais articulações do corpo humano, podendo ser grave a ponto de limitar os movimentos ou impossibilitar tarefas simples do dia a dia. Além da dor em si, alguns pacientes descrevem queimação e rigidez.

Como ocorre a dor articular?

As articulações são estruturas complexas, que se movimentam constantemente, além de algumas suportarem o peso do corpo. Esse frequente uso acaba sendo fator para o surgimento de diversos problemas.

As dores articulares podem ter diversas causas, como doenças ou lesões. Uma das principais desencadeadoras de dores articulares difusas é a artrite reumatoide, uma doença autoimune e que ocasiona rigidez, dores e inflamação nas articulações.

Tratamento das dores articulares

O tratamento vai depender da causa da dor, que pode ser uma doença sistêmica ou lesões localizadas espefíficas. Em geral, alguns cuidados são recomendados para a melhora da qualidade de vida do paciente e do controle dos sintomas.

Entre as principais recomendações, estão:
1. aplicar gelo nos locais com inflamação;
2. controlar o peso corporal;
3. utilizar palmilhas, que ajudam a diminuir os pontos de pressão e reduzir a dor;
4. praticar exercícios físicos;
5. alimentar-se de forma saudável;
6. ingerir alimentos ricos em cálcio e vitamina D;
7. abandonar o cigarro;
8. alongar-se frequentemente;
9. reduzir o consumo de bebidas alcoólicas;
10. diminuir o uso de salto alto.
Sempre siga as recomendações médicas e não se automedique.

PRINCIPAIS PROBLEMAS NO QUADRIL

 

Hoje vamos falar sobre os PRINCIPAIS PROBLEMAS DO QUADRIL
As causas mais comuns de dor no quadril na população em geral incluem artrose, bursite, dores musculares e compressão nervosa. Os atletas amadores e profissionais, no entanto, muitas vezes também têm dor no quadril causada por impactos diretos ou indiretos, e síndromes por uso excessivo. Por isso, é importante para um pessoa, prestar atenção quando começar a sentir algum sinal ou sintoma no quadril para realizar o tratamento necessário e prevenir uma condição crônica.

Conheça algumas das causas mais comuns de dor no quadril em atletas.

PUBALGIA – É um desequilíbrio funcional da musculatura do reto abdominal e adutores. É uma lesão relacionada ao esforço repetitivo na região da sínfise púbica, que causa dor na região inferior do abdome, ou na origem da musculatura adutora, muito comum em atletas. O exame clínico e os exames complementares permitem fazer o diagnóstico preciso da causa da pubalgia, avaliar a qualidade dos tendões, e avaliar o grau de edema ósseo na sínfese púbica. É importante fazer o diagnóstico diferencial e associação com as hérnias inguinais, lesão muscular, alterações ginecológicas / urológicas, impacto femoroacetabular e osteonecrose do quadril.

INSTABILIDADE DO QUADRIL: diagnóstico pouco frequente, geralmente feito em mulheres com frouxidão ligamentar global e hipermobilidade das articulações. Pode causar dor pela subluxação da cabeça femoral.

ARTROSE DO QUADRIL – A alteração degenerativa da cartilagem do quadril (desgaste) é muito comum nos idosos, e é chamada de coxartrose primária. Pacientes mais jovens podem ter artrose secundária a fatores preexistentes que causam a degeneração articular precoce. As doenças da infância como a displasia do quadril e o Perthes, o impacto femoroacetabular e a lesão do labrum, e a osteonecrose do quadril são as principais causa de coxartrose secundária do quadril. A artrose do quadril é uma das causas mais comuns de dor crônica no quadril , tanto nos atletas, quanto em pessoas sedentárias.

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h