dor no joelho

CUIDADOS COM O JOELHO NO FUTEBOL

futebol siteVilões do futebol

O movimento de rotação do corpo sobre os membros inferiores é o principal mecanismo responsável pelo ENTORSE das articulações.
As entorses do tornozelo são as lesões mais comuns do futebol, pois esta articulação é mais vulnerável aos traumas e às irregularidades do campo. Entretanto, o JOELHO é o mais afetado em termos de “gravidade de lesão”.

O rompimento total ou parcial do ligamento cruzado anterior, do ligamento colateral medial e a lesão do menisco são os principais vilões do atleta amador ou profissional. Dependendo da intensidade do trauma ou entorse, estes ligamentos podem se romper, necessitando de reconstrução cirúrgica em muitos casos.

Além das lesões nos joelhos, os atletas podem sofrer com contusões, que ocorrem principalmente com o contato entre jogadores durante treinos e partidas. As distensões ou rupturas musculares também são muito comuns, tanto no início (por falta de aquecimento) quanto no final das partidas (por fadiga muscular).

PREVENÇÃO É A MELHOR FORMA DE EVITAR LESÕES

Quando é preciso esticar um pouco mais a perna para receber aquele passe ou quando o movimento de rotação é feito de forma inesperada e brusca, os joelhos podem “reclamar”. Para não ser mais um atleta lesionado, antes de um jogo ou treino, faça um aquecimento adequado, use equipamentos de proteção, além de tênis ou chuteira adequada para cada terreno (campo de grama, sintético ou quadra). Além disso, outros cuidados como um bom condicionamento físico, alimentação adequada e um bom reforço muscular também podem diminuir os riscos de uma lesão, tanto para o atleta amador quanto para o profissional.

Alongamento depois da musculação pode favorecer a incidência de lesões

Hoje trazemos algumas alongamento pós corrida

Você sabia que após a musculação os músculos ficam um pouco tensionados e forçá-los pode causar problemas no desempenho e aumentar o risco de lesões?

Por isso, é bom PEGAR LEVE nos alongamentos pós-treino. Alongue apenas para induzir o corpo ao relaxamento e não exija muito da flexibilidade.

Ao realizar um ALONGAMENTO após o treino, a pessoa/atleta está “esticando” uma musculatura repleta de micro-rupturas das fibras musculares, o que poderá aumentar ainda mais o tamanho da lesão e comprometer sua cicatrização.

Imagine o que acontece se você pega e estica uma meia calça. Não precisa ser mulher para saber que o desfiado aumenta de tamanho. O mesmo acontece com a sua MUSCULATURA.

Nosso corpo pode lidar com as micro-lesões causadas pelo trabalho de hipertrofia muscular, pois está preparado para isso. Porém, muitas vezes não consegue dar conta do recado quando promovemos um estiramento ou alongamento excessivo das micro-rupturas.

Além disso, alongar a musculatura quando ela está extremamente aquecida pode ser perigoso, uma vez que a sua tolerância para dor pode estar alterada graças à liberação de endorfinas, aumento de circulação sanguínea, aumento da mobilidade articular e diminuição da tensão muscular.

O músculo está fadigado e, com isso, aumenta o risco de “passar dos limites” do alongamento sem sentir dor.
Então, pode ficar tranquilo, porque não há necessidade biológica de alongar excessivamente depois do treino de musculação.

 

SIGA-NOS NO INSTAGRAM: Instituto_Fuchs

SIGA-NOS NO FACEBOOK: Instituto Fuchs

Curso de Instabilidade Patelo Femoral

Curso de Patelo Femoral

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h