instituto fuchs

Atividade física intensa e sem acompanhamento pode causar lesões no quadril, alerta ortopedista

As dores no quadril são comuns a partir da quinta década de vida, quase sempre relacionadas às inflamações-bursite e ao desgaste da articulação – a artrose, mas a prática de exercícios físicos de alto impacto e sem orientação adequada está levando pacientes para consultórios de ortopedistas cada vez mais cedo.

É o que explica o médico ortopedista especialista em cirurgia do quadril e do joelho, Dr. Thiago Fuchs.

“Alguns exercícios podem machucar a articulação. Principalmente os exercícios de alto impacto ou com grande amplitude de movimento, como agachamento completo por exemplo. Correr é muito bom. Mas corridas longas por muito tempo, sem preparação muscular, podem levar ao desgaste da articulação”, explica Fuchs.

Ainda de acordo com o ortopedista, os atletas profissionais de todas as áreas apresentam lesões precoces devido a carga e intensidade das atividades. “Os treinos são muito exaustivos e a carreira é curta porque o corpo sofre”, comenta.

Impacto femoroacetabular (IFA) – O Impacto Femoroacetabular (IFA) é o nome que se dá ao contato anormal entre os ossos do quadril durante movimentos. Esse impacto entre as estruturas que compõem o quadril (colo do fêmur e o osso acetábulo) gera o comprometimento de toda a biomecânica dessa articulação, lesão do labrum e da cartilagem articular.

“Uma pesquisa da Mayo Clinic aponta que o paciente com Impacto Femoroacetebular (IFA) sintomático em 15 anos tem risco de 70% de chances de precisar de uma prótese do quadril”, afirma Fuchs.

A dor geralmente é na virilha e profunda. Alguns pacientes apresentam sintomas de dor ou desconforto no joelho, púbis, articulação sacroilíaca e coluna como consequência da doença no quadril.

A dor é a principal queixa, em geral relacionada com atividades físicas e com movimentos de flexão-rotação do quadril. Outras queixas incluem falta de mobilidade, travamentos e estalidos no quadril.

Preservação do quadril – O especialista orienta que a prevenção dos fatores de risco é a melhor forma de evitar os problemas. Para isso, o ortopedista explica que a manutenção do peso ideal, o fortalecimento da musculatura abdutora, responsável por abrir a perna e dar sustentação ao quadril, e dos músculos do CORE, o centro de gravidade do corpo, são fundamentais para preservação da saúde do quadril.

“Fortalecer sempre a musculatura do CORE, que envolve o abdome, lombar, glúteos e parte anterior da coxa, preserva a articulação e distribui a carga do peso do corpo. Caminhada, bicicleta e natação são exercícios aeróbicos de baixo impacto muito bons para preservar o movimento do quadril”, garante Fuchs.

 

Instituto Fuchs agora também está na Clínica Artro

Os cirurgiões do Instituto Fuchs, Thiago Fuchs e Rogério Fuchs, que são especialistas em medicina reparadora e preservadora do joelho e quadril, agora também estão atendendo na Clínica Artro, em Curitiba.

Saiba mais no vídeo abaixo:

 

A Artro fica na rua Vicente Machado, 2.439 – Curitiba. O telefone para agendamento na Clínica Artro é (41) 3340-5500. Lembramos que o atendimento no Instituto Fuchs segue normalmente.

Ortopedistas alertam sobre lesões no joelho causadas por amplitude exagerada na musculação

O público de academias que busca saúde, bem-estar e ganho de massa muscular por meio da musculação tem crescido nos últimos anos. Sem orientação especializada, os riscos do desenvolvimento de lesões é grande, principalmente na articulação do joelho.

Segundo o médico ortopedista especialista em joelho, Rogério Fuchs, a prática incorreta de exercícios de musculação como agachamentos, extensor, leg press, entre outros, pode sobrecarregar a articulação dos joelhos precocemente.

“A primeira coisa para evitar uma lesão é fazer exercício da maneira correta. Isso envolve alimentação adequada, tempo de repouso, orientação com relação a técnica do exercício e respeitar os limites do corpo”, frisa Rogério.

Habitualmente, o joelho suporta carga de duas a três vezes o peso do próprio corpo. Quando a amplitude do movimento passa dos 90°, a carga é multiplicada por cinco a sete vezes.

“A gente sabe que atividade com extrema carga com o joelho dobrado mais que 90° machuca o joelho. Imagine um agachamento com carga de 100 quilos, quando você passa dos 90° são 500 a 700 quilos a cada movimento”, explica o médico ortopedista especialista em joelho e quadril, Thiago Fuchs.

Instituto Fuchs “Live”

O Instituto Fuchs atua no tratamento do joelho e do quadril e promove mensalmente discussões sobre temas relacionados ao assunto, por meio de transmissão ao vivo pelo Facebook. Durante a “live”, os ortopedistas respondem dúvidas e questionamentos do público com o objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população.

O que é a fratura por estresse?

Os ossos de pessoas sadias se tornam mais densos e fortes quando submetidos à carga constantemente. Por este motivo, pessoas que fazem exercícios com regularidade, têm menos probabilidade de fraturas.

Já a fratura de estresse está relacionada ao excesso de treinamento (acima da tolerância de cada um), geralmente associada a um desequilíbrio metabólico e muscular. Tanto os atletas de fim de semana quanto os atletas profissionais podem apresentar fraturas por estresse.

Sofre com o problema e quer saber mais? Agende uma consulta com os médicos ortopedistas do Instituto Fuchs! Entre em contato pelo telefone (41) 3026-6959

Leia também:

VÍDEO: Tenho impacto bilateral. Se eu não fizer cirurgia terei artrose? Thiago Fuchs responde!

Estudos mostram que pacientes com impacto femoracetabular sintomático (com dor), em 15 anos, possuem 70% de chance de precisar de uma prótese do quadril. Dr. Thiago Fuchs explica! Confira:

 

Instituto Fuchs Live

O Instituto Fuchs promove discussões sobre temas relacionados ao quadril e joelho com objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população mensalmente pela página oficial no Facebook.

Live: Opções e técnicas de tratamento não cirúrgico do joelho

O médico ortopedista especialista em joelho e quadril do Instituto Fuchs, Thiago Fuchs, e a fisioterapeuta Rubia Benatti se reuniram na noite desta terça-feira (4) para responder dúvidas de internautas sobre métodos não cirúrgicos para tratamento do joelho.

O encontro é uma iniciativa do Instituto Fuchs que reúne mensalmente ortopedistas e convidados para levar conhecimento científico de qualidade para a população em transmissão ao vivo e interativa pelo Facebook.

Durante o bate-papo, os especialistas falaram sobre temas como prevenção de problemas articulares, fortalecimento da musculatura e tratamentos.

Confira na íntegra:

Thiago Fuchs palestra sobre impacto femoracetabular no 1º Simpósio Multidisciplinar em Traumatologia do Esporte

O médico ortopedista especialista em cirurgia do joelho e quadril do Instituto Fuchs, Thiago Fuchs, participa do 1º Simpósio Multidisciplinar em Traumatologia do Esporte, da Faculdade IBRATE e do Instituto Joelho e Ombro, neste sábado (25), em Curitiba.

O evento conta com diversas palestras de profissionais renomados que atuam na recuperação e qualidade de vida de atletas.

Thiago Fuchs participa como moderador, a partir das 14 horas, da mesa-redonda sobre impacto femoroacetabular com a participação de especialistas em quadril e fisioterapeutas.

“A discussão sobre Impacto Femoroacetabular entre especialistas em quadril e fisioterapeutas é fundamental para definir qual o melhor tratamento para cada caso, principalmente pensando na preservação da articulação”, comenta Thiago.

O evento vai abordar inúmeros temos relacionadas à saúde do atleta, desde a prevenção até as técnicas mais avançadas de tratamento.

Confira a programação completa clicando aqui.

Artrose tem cura? Thiago Fuchs responde essa e outras perguntas ao vivo no Facebook

O Instituto Fuchs promoveu uma discussão ao vivo pelo Facebook na noite desta terça-feira (14). Nesta oportunidade, o Dr. Thiago Fuchs, médico ortopedista especialista do joelho e quadril, tirou dúvidas e respondeu os internautas sobre o tema “Dor no Quadril do Jovem”.

Entre as questões enviadas, Thiago Fuchs respondeu dúvidas sobre sobre estalos, artrose, próteses e infiltração de ácido hialurônico no tratamento de lesões no quadril.

Artrose tem cura?

A artrose é uma doença que não tem cura. O problema é caracterizado pelo desgaste da cartilagem dos dois lados da articulação. Existem tratamentos paliativos, mas o fim do problema está relacionado com uma artroplastia da articulação afetada pela doença.

“A artrose ainda é uma doença irreversível. O mundo busca o estudo sobre a artrose e quais as soluções para esse problema articular. Artrose não tem cura. A cirurgia substitui a artrose por uma prótese. Existem tratamentos da artrose sem cirurgia… os tratamentos biomecânicos, posturais, analgésicos e terapias biológicas que buscam a melhora da condição da articulação para ganhar mais tempo e durabilidade”, afirma Thiago Fuchs.

“Até o momento, nós temos tratamentos preservadores e paliativos. A cura é uma cirurgia de substituição, uma artroplastia da articulação, no caso do quadril, uma prótese total do quadril”, explica o especialista.

Ácido hialurônico ajuda no tratamento de artroses avançadas?

De acordo com o especialista, a infiltração de ácido hialurônico na articulação só apresenta bons resultados em lesões de cartilagem e artroses iniciais ou quando o paciente apresenta uma artrose moderada e precisa de um tratamento paliativo pensando em adiar a prótese de quadril.

“O ácido hialurônico é um componente que lubrifica a articulação. A infiltração busca lubrificação articular, melhora da nutrição da cartilagem articular e o estímulo para produção de mais ácido hialurônico. Para pacientes com artrose avançada, com deformidade óssea muito grande, a ação do ácido hialurônico é reduzida e a gente não indica esse tratamento. Nesses casos, a gente vai buscar uma artroplastia”, explica Thiago.

Dor na virilha após musculação pode ser articulação?

Segundo Thiago, a dor na virilha pode ter inúmeras causas, entre elas problemas abdominais, ginecológicos, mas a dor no quadril relacionada à atividade física em exercícios com flexões maiores do que 90º e com rotação é um sinal de alerta.

“Procure um especialista em quadril. O paciente jovem que tem dor precisa descobrir o que tem e tentar tratar para evitar problemas degenerativos no futuro”, afirma.

Qual a amplitude de movimento após a prótese?

O implante permite um movimento muito próximo de um quadril normal, garante Fuchs. Porém, o paciente deverá tomar algumas precauções nos primeiros meses após a operação.

“O que a gente orienta sempre é que os pacientes tenham cuidado, principalmente nos primeiros três meses, com os movimentos de flexão do quadril acima de 90º e na adução – quando cruza e joga a perna para dentro, com flexão exagerada. É nesse momento em que há o principal período de cicatrização das partes moles, da cápsula articular, da musculatura e da reabilitação. Depois desses três meses, você pode ter um quadril muito próximo do normal, mas que depende de muitos fatores do paciente, da cirurgia e das articulações acima e abaixo”.

Instituto Fuchs Live

O Instituto Fuchs promove discussões sobre temas relacionados ao quadril e joelho com objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população.

Você pode rever a última transmissão abaixo:

Pacientes tiram dúvidas com ortopedistas em transmissão online

Os médicos ortopedistas especialistas em joelho e quadril do Instituto Fuchs, Rogério Fuchs e Thiago Fuchs, promoveram um novo bate-papo com internautas, pelo Facebook, para discutir assuntos relacionados ao tratamento e causas de dores na articulação do joelho na noite desta terça-feira (24).

Durante uma hora, os especialistas responderam diversas perguntas do público. Entre os principais tópicos estão as lesões causadas pela prática da atividades físicas, cirurgias e próteses no joelho.

Como atleta de musculação pode evitar lesão no joelho?

Segundo Thiago, a prática incorreta de exercícios de musculação como agachamentos, afundos, leg press, entre outros, podem sobrecarregar a articulação dos joelhos precocemente.

“A primeira coisa para evitar uma lesão é fazer exercício da maneira correta. Isso envolve alimentação adequada, tempo de repouso, orientação com relação a técnica do exercício, respeitar os limites do corpo”, frisa Thiago.

Habitualmente, o joelho suporta carga de duas vezes o peso do próprio corpo. Quando a amplitude do movimento passa dos 90º, a carga é multiplicada de cinco a sete vezes.

“A gente sabe que atividade com extrema carga com o joelho dobrado mais do que 90º machuca o joelho. Imagine um agachamento com carga de 100 quilos, quando você passa dos 90º são 500 a 700 quilos a cada movimento”, explica o especialista.

Próteses no joelho é recomendada para pacientes acima de 80 anos?

Segundo os especialistas, a idade não é fator que possa impedir a prótese no joelho. Os pacientes precisam ser avaliados por outros fatores que envolvem o estado clínico. Quando o paciente não possui outras comorbidades, como diabetes, colesterol elevado, histórico de infarto, a artroplastia pode ser indicada e vai promover melhoras na qualidade de vida do idoso.

“Se existir artrose no joelho, deformidades, sofrimento e suas condições clínicas permitirem, a cirurgia pode ser feita sem problema nenhum. Temos paciente que colocou a prótese aos 92 anos de idade e com 96 está feliz da vida”, explica Rogério. “Se for para ter 80, 90, 100 anos, a pessoa precisa de qualidade de vida. Tem que poder caminhar e fazer as coisas do dia a dia”, complementa Thiago.

Instituto Fuchs Live

O Instituto Fuchs é especialista em cirurgia de joelho e do quadril e promove mensalmente discussões sobre temas relacionados ao assunto por meio de transmissão ao vivo pelo Facebook. Durante a live, os ortopedistas respondem dúvidas e questionamentos do público com o objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população.

Você pode assistir a transmissão aqui:

Como é formada a articulação do quadril?

A articulação do quadril é formada pelo contato da cabeça do fêmur – que possui uma forma esférica – com a cúpula do acetábulo (concavidade da bacia).

Outras estruturas são importantes no quadril e completam o encaixe entre cabeça do fémur e o acetábulo, dentre elas, o labrum acetabular, a cápsula articular e os músculos ao redor da articulação.

O labrum é uma fibrocartilagem localizada ao redor do acetábulo e apresenta funções importantes, como:

– Ampliar a área de contato da cabeça do fêmur com o acetábulo.
– Promover a vedação da articulação do quadril.
– Distribuir o líquido sinovial, lubrificando a articulação.
– Amortecer os impactos.
– Estabilizar o quadril em combinação com outros ligamentos.

O movimento do quadril é amplo e definido pelo perfeito encaixe entre os dois ossos, com suas superfícies lisas e lubrificadas. Portanto qualquer alteração na forma dos ossos ou nas condições da cartilagem que os reveste, pode gerar lesões adicionais ou até mesmo o desenvolvimento de uma artrose (degeneração da articulação).

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h