instituto fuchs

Artrose tem cura? Thiago Fuchs responde essa e outras perguntas ao vivo no Facebook

O Instituto Fuchs promoveu uma discussão ao vivo pelo Facebook na noite desta terça-feira (14). Nesta oportunidade, o Dr. Thiago Fuchs, médico ortopedista especialista do joelho e quadril, tirou dúvidas e respondeu os internautas sobre o tema “Dor no Quadril do Jovem”.

Entre as questões enviadas, Thiago Fuchs respondeu dúvidas sobre sobre estalos, artrose, próteses e infiltração de ácido hialurônico no tratamento de lesões no quadril.

Artrose tem cura?

A artrose é uma doença que não tem cura. O problema é caracterizado pelo desgaste da cartilagem dos dois lados da articulação. Existem tratamentos paliativos, mas o fim do problema está relacionado com uma artroplastia da articulação afetada pela doença.

“A artrose ainda é uma doença irreversível. O mundo busca o estudo sobre a artrose e quais as soluções para esse problema articular. Artrose não tem cura. A cirurgia substitui a artrose por uma prótese. Existem tratamentos da artrose sem cirurgia… os tratamentos biomecânicos, posturais, analgésicos e terapias biológicas que buscam a melhora da condição da articulação para ganhar mais tempo e durabilidade”, afirma Thiago Fuchs.

“Até o momento, nós temos tratamentos preservadores e paliativos. A cura é uma cirurgia de substituição, uma artroplastia da articulação, no caso do quadril, uma prótese total do quadril”, explica o especialista.

Ácido hialurônico ajuda no tratamento de artroses avançadas?

De acordo com o especialista, a infiltração de ácido hialurônico na articulação só apresenta bons resultados em lesões de cartilagem e artroses iniciais ou quando o paciente apresenta uma artrose moderada e precisa de um tratamento paliativo pensando em adiar a prótese de quadril.

“O ácido hialurônico é um componente que lubrifica a articulação. A infiltração busca lubrificação articular, melhora da nutrição da cartilagem articular e o estímulo para produção de mais ácido hialurônico. Para pacientes com artrose avançada, com deformidade óssea muito grande, a ação do ácido hialurônico é reduzida e a gente não indica esse tratamento. Nesses casos, a gente vai buscar uma artroplastia”, explica Thiago.

Dor na virilha após musculação pode ser articulação?

Segundo Thiago, a dor na virilha pode ter inúmeras causas, entre elas problemas abdominais, ginecológicos, mas a dor no quadril relacionada à atividade física em exercícios com flexões maiores do que 90º e com rotação é um sinal de alerta.

“Procure um especialista em quadril. O paciente jovem que tem dor precisa descobrir o que tem e tentar tratar para evitar problemas degenerativos no futuro”, afirma.

Qual a amplitude de movimento após a prótese?

O implante permite um movimento muito próximo de um quadril normal, garante Fuchs. Porém, o paciente deverá tomar algumas precauções nos primeiros meses após a operação.

“O que a gente orienta sempre é que os pacientes tenham cuidado, principalmente nos primeiros três meses, com os movimentos de flexão do quadril acima de 90º e na adução – quando cruza e joga a perna para dentro, com flexão exagerada. É nesse momento em que há o principal período de cicatrização das partes moles, da cápsula articular, da musculatura e da reabilitação. Depois desses três meses, você pode ter um quadril muito próximo do normal, mas que depende de muitos fatores do paciente, da cirurgia e das articulações acima e abaixo”.

Instituto Fuchs Live

O Instituto Fuchs promove discussões sobre temas relacionados ao quadril e joelho com objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população.

Você pode rever a última transmissão abaixo:

Pacientes tiram dúvidas com ortopedistas em transmissão online

Os médicos ortopedistas especialistas em joelho e quadril do Instituto Fuchs, Rogério Fuchs e Thiago Fuchs, promoveram um novo bate-papo com internautas, pelo Facebook, para discutir assuntos relacionados ao tratamento e causas de dores na articulação do joelho na noite desta terça-feira (24).

Durante uma hora, os especialistas responderam diversas perguntas do público. Entre os principais tópicos estão as lesões causadas pela prática da atividades físicas, cirurgias e próteses no joelho.

Como atleta de musculação pode evitar lesão no joelho?

Segundo Thiago, a prática incorreta de exercícios de musculação como agachamentos, afundos, leg press, entre outros, podem sobrecarregar a articulação dos joelhos precocemente.

“A primeira coisa para evitar uma lesão é fazer exercício da maneira correta. Isso envolve alimentação adequada, tempo de repouso, orientação com relação a técnica do exercício, respeitar os limites do corpo”, frisa Thiago.

Habitualmente, o joelho suporta carga de duas vezes o peso do próprio corpo. Quando a amplitude do movimento passa dos 90º, a carga é multiplicada de cinco a sete vezes.

“A gente sabe que atividade com extrema carga com o joelho dobrado mais do que 90º machuca o joelho. Imagine um agachamento com carga de 100 quilos, quando você passa dos 90º são 500 a 700 quilos a cada movimento”, explica o especialista.

Próteses no joelho é recomendada para pacientes acima de 80 anos?

Segundo os especialistas, a idade não é fator que possa impedir a prótese no joelho. Os pacientes precisam ser avaliados por outros fatores que envolvem o estado clínico. Quando o paciente não possui outras comorbidades, como diabetes, colesterol elevado, histórico de infarto, a artroplastia pode ser indicada e vai promover melhoras na qualidade de vida do idoso.

“Se existir artrose no joelho, deformidades, sofrimento e suas condições clínicas permitirem, a cirurgia pode ser feita sem problema nenhum. Temos paciente que colocou a prótese aos 92 anos de idade e com 96 está feliz da vida”, explica Rogério. “Se for para ter 80, 90, 100 anos, a pessoa precisa de qualidade de vida. Tem que poder caminhar e fazer as coisas do dia a dia”, complementa Thiago.

Instituto Fuchs Live

O Instituto Fuchs é especialista em cirurgia de joelho e do quadril e promove mensalmente discussões sobre temas relacionados ao assunto por meio de transmissão ao vivo pelo Facebook. Durante a live, os ortopedistas respondem dúvidas e questionamentos do público com o objetivo de compartilhar conhecimento científico de qualidade com a população.

Você pode assistir a transmissão aqui:

Como é formada a articulação do quadril?

A articulação do quadril é formada pelo contato da cabeça do fêmur – que possui uma forma esférica – com a cúpula do acetábulo (concavidade da bacia).

Outras estruturas são importantes no quadril e completam o encaixe entre cabeça do fémur e o acetábulo, dentre elas, o labrum acetabular, a cápsula articular e os músculos ao redor da articulação.

O labrum é uma fibrocartilagem localizada ao redor do acetábulo e apresenta funções importantes, como:

– Ampliar a área de contato da cabeça do fêmur com o acetábulo.
– Promover a vedação da articulação do quadril.
– Distribuir o líquido sinovial, lubrificando a articulação.
– Amortecer os impactos.
– Estabilizar o quadril em combinação com outros ligamentos.

O movimento do quadril é amplo e definido pelo perfeito encaixe entre os dois ossos, com suas superfícies lisas e lubrificadas. Portanto qualquer alteração na forma dos ossos ou nas condições da cartilagem que os reveste, pode gerar lesões adicionais ou até mesmo o desenvolvimento de uma artrose (degeneração da articulação).

Curso reúne especialistas em medicina preservadora e reparadora do quadril

O Grupo Meu Quadril promove, nos dias 03 e 04 de agosto, em Curitiba, o Encontro de Medicina Preservadora e Reparadora do Quadril – Artroscopia do Quadril.

Nos dois dias de curso – com vagas limitadas – serão realizadas aulas sobre Medicina Preservadora e Artroscopia do Quadril, Discussão Interativa de Casos e Cirurgias ao vivo.

Entre os palestrantes estão: Thiago Fuchs (Curitiba), David Gusmão (Porto Alegre), Inácio Ventura (Brasília), Bruno Rabello (Rio de Janeiro), João Lopo (Belo Horizonte), Cristiano Saliba (Curitiba) e Rúbia Benatti (Curitiba).

O curso é uma realização do Instituto Fuchs e Grupo Meu Quadril, com apoio da Tecno Medical e Smith&Nephew.

Inscrições: contato@institutofuchs.com.br

Internet x Resultados de exames de joelho e quadril

Hoje vamos falar de uma situação muito comum nos consultórios, mas que pode gerar uma ansiedade desnecessária aos pacientes.

Faz parte do trabalho do especialista em joelho e quadril solicitar, quando necessário, exames complementares ao seu paciente, que podem ser exames de imagem, de laboratório ou avaliações de outras especialidades.

No entanto, a grande maioria dos pacientes, antes mesmo de retornar com os exames ao seu médico, utiliza a internet para pesquisar o resultado ou sinônimos das palavras e expressões contidas nos laudos.

Isso pode levar a uma situação que não condiz com a realidade do paciente, trazendo preocupações, sofrimentos e ansiedade. A avaliação dos resultados dos exames necessita de correlação clínica com cada caso específico.

Por isso, fica a dica para que você não defina antecipadamente o seu diagnóstico e tratamento, especialmente no que tange ao seu problema no joelho ou quadril. Consulte um especialista para definir a melhor opção para seu caso.

Saiba como é feito o preparo pré-incisão em uma cirurgia de artroplastia total de quadril

O que é a condromalácia patelar?

Sente dores frequentes no joelho ou ouve alguns estalos na região?

Isso pode ser sinal de condromalácia patelar, doença que pode atingir esportistas profissionais, os atletas de final de semana ou mesmo quem trabalha fazendo muitos movimentos que sobrecarregam os membros inferiores.

A condromalácia patelar é o desgaste da cartilagem da patela por conta do atrito gerado no movimento. A patela é um osso que está ligada somente a tendões e músculos, por isso é importante ela estar centralizada, dessa forma a força exercida sobre a cartilagem será a mesma em todo o movimento.

Para saber se o incômodo se trata mesmo do distúrbio, é necessário fazer uma consulta com o ortopedista. No entanto, muitas pessoas têm os sintomas e não procuram um especialista por medo de ter de fazer cirurgias na região. O que elas não sabem é que o melhor é tratar o problema o quanto antes, de forma a não agravar o quadro.

O que pode causar o desgaste nas articulações?

São muitas as razões que levam uma pessoa a começar a sofrer com problemas nas articulações. As mais frequentes são:

  • A idade: o desgaste da cartilagem articular é um processo natural com o passar dos anos;
  • Genética: as características genéticas da cartilagem e de algumas doenças podem favorecer o aparecimento precoce da artrose;
  • Peso: a obesidade danifica as articulações de carga, como os joelhos e os quadris, já que todo o peso do corpo recai sobre as extremidades inferiores;
  • Sobrecarga: Atividades que “forçam” muito e por longo período podem levar ao desgaste articular;
  • Lesões: o traumatismo envolvendo uma articulação resulta em uma maior predisposição ao desgaste, principalmente quando acontece lesão da cartilagem;
  • Alimentação: estudos recentes demonstram que o consumo excessivo de carboidratos leva a um estado inflamatório sistêmico que pode levar ao desgaste articular precoce.

No Instituto Fuchs nós atuamos no tratamento de problemas no joelho e quadril.

O que é e para que serve a artroscopia do quadril?

Artroscopia é uma técnica cirúrgica pela qual os tratamentos são realizados sem a necessidade de grandes incisões (cortes) na pele, sendo realizada apenas por pequenos orifícios.

Através destes orifícios, utilizam-se uma microcâmera (ótica) e diversos instrumentais especiais, capazes de reparar as lesões trabalhando em um espaço restrito, sem danificar as estruturas circundantes.O principal objetivo da artroscopia do quadril é o de tratar a dor e a lesão em um estágio precoce, para tentar evitar a progressão e o aparecimento de doenças crônicas, que exijam tratamentos maiores, como uma prótese de quadril.

Este é o foco dos procedimentos preservadores articulares: restaurar uma anatomia funcional e restabelecer o equilíbrio biomecânico para oferecer às articulações nativas as melhores condições de funcionamento possíveis.

Exercício de agachamento em portadores de Impacto Femoroacetabular (IFA)

 

Estudos biomecânicos demonstram que o agachamento com hiperflexão e rotação interna dos membros inferiores durante os exercícios pode aumentar o grau de impacto entre o fêmur e o acetábulo. Esta maior sobrecarga é um fator de risco para dor e lesão da cartilagem do quadril.
É recomendada a rotação neutra ou externa dos membros inferiores durante o agachamento para minimizar o impacto dobre a cartilagem do quadril.
Saiba mais sobre impacto femoroacetabular e lesão do labrum em nosso site www.institutofuchs.com.br .

Endereço

Av. Sete de Setembro nº 6.496 Seminário - Curitiba/ Paraná
(41) 3026-6959
contatos@institutofuchs.com.br

Siga-nos em nossas Redes

Horários de Atendimento

De Segunda à Quinta-feira dás 9:00h - 19:00h
Sexta dás 8:00h ás 17:00h