CUIDADOS COM O JOELHO NO FUTEBOL

As entorses do tornozelo são as lesões mais comuns do futebol, pois esta região é mais vulnerável a pancadas e aos buracos do campo. Entretanto, o joelho é o mais afetado em termos de gravidade de lesão. Os movimentos de rotação são os responsáveis pelas entorses. Os rompimentos total ou parcial do ligamento cruzado anterior, ligamento colateral medial e do menisco são os principais vilões do atleta amador ou profissional. Dependendo da intensidade do trauma ou entorse, estes ligamentos podem se romper, necessitando de reconstrução cirúrgica em muitos casos.

Além das lesões nos joelhos, os atletas podem sofrer com contusões, que ocorrem principalmente com o contato entre jogadores durante treinos e partidas. Não distante destas lesões, as distensões ou rupturas musculares também são muito comuns tanto no início quanto no final das partidas.
O tempo de recuperação irá variar de acordo com a lesão. O atleta deve se manter em repouso e fazer sessões de fisioterapia, permitindo o retorno ao campo em algumas semanas ou até em alguns meses, nos casos de lesões ligamentares. A fisioterapia desempenha um papel muito importante na recuperação do atleta, sendo que as sessões têm como objetivo aliviar a dor, proteger a articulação e ganho de movimento do joelho.
Em busca de resultados satisfatórios, o fisioterapeuta pode adotar técnicas de relaxamento muscular, mobilização cicatricial, ganho da amplitude de movimento e correção biomecânica com exercícios de fortalecimento e equilíbrio. Vale lembrar que a cirurgia nem sempre é indicada. Dependendo da lesão o problema pode ser tratado apenas com a fisioterapia.
PREVENÇÃO É A MELHOR FORMA DE EVITAR LESÕES
Quando é preciso esticar um pouco mais a perna para receber aquele passe ou quando o movimento de rotação é feito de forma inesperada e brusca os joelhos reclamam. Para não ser mais um atleta lesionado, antes de um jogo ou treino, faça aquecimento específico com trote ou corrida, use equipamentos de proteção como caneleiras, tornozeleiras e bandagens, além de tênis ou chuteira adequada para cada terreno (campo de grama, sintético ou quadra). Além disso, outros cuidados como bom condicionamento físico, alimentação adequada e um bom reforço muscular também podem diminuir os riscos de uma lesão tanto para o atleta amador quanto para o profissional.
Post anterior
ARTROPLASTIA DO QUADRIL MELHOR A DOR EM 95% DOS CASOS
Próximo post
O CIGARRO NA RECUPERAÇÃO DA ARTROPLASTIA DO QUADRIL
Menu
Dúvidas? Clique aqui